A vírgula na expressão «com que então» (II) - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
A vírgula na expressão «com que então» (II)

Retorno à consulta feita por mim e respondida em 13/02/2019, para saber qual seria a melhor escolha para a pontuação para o final da frase «Com que então, o maroto do tio Jonas enviava aquele montão de inutilidades sem ao menos apreciá-las completamente(!?)»

Ponto de interrogação ou de exclamação?

Obrigado mais uma vez.

Fernando Bueno Engenheiro Belo Horizonte, Brasil 174

As frases em que ocorre a expressão «com que então» podem exprimir um leque variado de emoções e sentimentos e realizar-se de formas distintas. Esta diversidade é codificada na escrita por diferentes sinais de pontuação, sem que se possa definir uma regra precisa, a não ser a que decorre das convenções usuais.

Assim, tais sequências podem terminar com ponto de interrogação, de modo a identificar uma frase de tipo interrogativo, que, exprimindo surpresa, não tem de ser forçosamente uma pergunta genuína:

(1) «Com que então a tua mãe continuou sempre a dar-se com a Maria Antónia?» (David Mourão Ferreira, "Tal e Qual o que Era", in Gaivotas em Terra, Lisboa, Editorial Presença, 8.ª edição, 1996, pág. 53).

No entanto, também há casos de associação de um ponto de exclamação, também a exprimir surpresa e até censura:

(3) «Com que então, só minha prima é que mereceu uma valsa! » (Machado de Assis, A Chave)

E também se encontram casos que rematam em reticências, sugerindo que mais haveria a dizer como censura trocista ou manifestação de algum desconcerto:

(4) «[...] Às vezes, lá em casa, ponho-me a pensar: o que é que sentirá uma galinha?

– Um galinha? – perguntou o engenheiro.

– Sim. Uma galinha. [...].

Até que o engenheiro abriu todo em gargalhada para restabelecer a normalidade: 

– Com que então, Carolino, uma galinha...» (Vergílio Ferreira, Aparição, Lisboa, Quetzal Editores, 2016, p. 65)

Estas oscilações justificarão até associarem-se os sinais gráficos mencionados em pares como como ?!, !?, !... ou ?....

Carlos Rocha
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: locução
Áreas Linguísticas: Ortografia/Pontuação Campos Linguísticos: Pontuação