Consultório - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Respostas Consultório Tema: Provérbios
Vicente Martins Professor universitáro Sobral, Brasil 257

Soube pelo Google que se trata de expressão de origem portuguesa. Vocês saberiam me dizer a motivação (ou etimologia) da expressão «vaso ruim não quebra»?

Luduvina Tiago de Oliveira Estudante Luanda, Angola 2K

Queria que me ajudassem a respeito dos significados dos seguintes provérbios: «Quem o alheio veste na praça o despe», «Quem não tenta não inventa», «Quem não tem força não levanta peso», «Quem não se dá com os seus não se dá com ninguém», «Quem não se contenta com o pouco o muito não apanha».

Obrigada.

Catarina Lonos Estudante Leiria, Portugal 1K

Estou aqui a estudar o Memorial do Convento [de José Saramago] e deparei-me com a expressão «porque pagamos com língua de palmo e a vida palmo a palmo».

Alguém poderia ter a gentileza de me ajudar a descodificar tais palavras?

Tânia Costa Bélgica 2K

Gostaria de saber, se possível, qual é a origem da expressão «sabe muito, mas anda a pé»: de que região/local, época e qual o significado original.

Obrigada desde já, e continuação de um bom trabalho.

Joana Teixeira Portugal 1K

Gostaria de saber qual o significado da expressão «o tempo é luxo que a nossa vida não só desrespeita como desmerece».

Ana Borges Desempregada Beja, Portugal 13K

Qual o significado do provérbio «A pera, quando madura, há de cair»?

João Carlos Araújo Reformado Lisboa, Portugal 6K

Confesso que, até ouvir esse reparo de alguém, eu também usava a expressão «dois pesos e duas medidas».

Segundo esse reparo, trata-se de uma corruptela retórica, pois o correto será «um peso e duas medidas».

Trata-se-ia do mesmo tipo de deturpação que aconteceu com a expressão «fala mal e parcamente» (generalizadamente confundida com «fala mal e porcamente», como se recordava recentemente aqui no Ciberdúvidas).

É mesmo assim?

Paulo Alexaxandre dos Santos Silva Desempregado Ponte de Lima, Portugal 11K

No outro dia, em conversa com pessoa conhecida, citaram-me esta expressão idiomática, da qual não sei o seu significado correto: «Há mais marés do que marinheiros.» Podiam-me dizer o que é que isto significa, se possível indicando situações onde esta mesma expressão idomática é utilizada?

Obrigado e votos de continuação do vosso excelente trabalho em defesa e salvaguarda da língua portuguesa.

Arlindo Oliveira Reformado Porto, Portugal 7K

Certa vez ouvi uma história a respeito de um rei português que certo dia, por altura de uma festa, mandou fazer uns bolos num convento. Como os bolos eram muitos e não havia farinha que chegasse, juntaram palha moída. O rei, sem saber, comeu os bolos e achou-os bons. Depois, mais tarde, veio a saber como tinham sido feitos e que o pasteleiro andava a dizer que «todo o burro come a palha, a questão é saber dar-lha».

Queria saber, se possível, a história completa e o nome do rei.

Desde já fico agradecido.

Ana Alves Professora Funchal, Portugal 7K

Gostaria de saber o significado dos seguintes provérbios:

«Ano de ameixas, ano de queixas.»

«A campo fraco, lavrador forte.»

«Mais vale lavrar o nosso ao longe que o alheio perto.»

«A boa fazenda nunca fica por vender.»

«Cada um colhe segundo semeia.»