A locução adverbial «de sempre» como deítico temporal - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
A locução adverbial «de sempre» como deítico temporal

Na frase «Esse é o livro mais lido de sempre», a expressão «de sempre» é um deítico temporal?

Agradeço a orientação.

José Garcia Formador Câmara de Lobos, Portugal 42

O constituinte «de sempre» poderá ser considerado um deítico temporal ou uma estrutura enfática, em função da intenção do locutor.

A deixis temporal tem lugar quando um determinado elemento linguístico localiza no tempo uma dada situação, tomando como referência o marco temporal agora.

A expressão «de sempre» poderá instituir uma referência deítica temporal se o locutor pretender demarcar um intervalo temporal que teve início no momento histórico em que uma primeira pessoa leu o livro em questão até ao momento de enunciação, que corresponde ao agora do eu que assume o discurso. Ou seja, se a intenção for quantificar o tempo, «de todos os tempos até este momento», localizando a ação, estaremos perante um deítico de tempo.

Todavia, se a intenção for somente enfática, tendo como objetivo destacar o número de leitores do livro (e não o intervalo de tempo em que estes o leram), nesse caso não estaremos perante um deítico temporal.

Disponha sempre!

Carla Marques
Tema: Pragmática Classe de Palavras: locução
Áreas Linguísticas: Discurso/Texto Campos Linguísticos: Deixis