Como não errar (tanto) no que (não) mudou com o Acordo Ortográfico - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Início Aberturas Abertura
Como não errar (tanto) no que (não) mudou com o Acordo Ortográfico
Como não errar (tanto) no que (não) mudou com o Acordo Ortográfico
Por Ciberdúvidas da Língua Portuguesa 2K

Numa época como a nossa, em que existem bons recursos eletrónicos para apoio do uso culto da língua, causa sempre perplexidade a deteção recorrente de velhos erros nos textos jornalísticos. A respeito da ortografia, então, menos se entende a ocorrência, nos media portugueses, de formas como "corrução" ou "abruta", produtos da desatenção e da hipergeneralização, depressa corrigíveis com uma simples pesquisa na Internet, onde se mostra que corrupção e abrupta são palavras cuja grafia não mudou com o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa (AO), plenamente em vigor desde 13 de maio p. p.

No intuito de ajudar quem não pode ser presa fácil da distração ou da fantasia neste capítulo, indiquemos vários instrumentos de consulta capazes de dar informação segura e disponíveis gratuitamente, via internet .

Assim, entre os vocabulários ortográficos eletrónicos, contam-se:

♦ o Vocabulário Ortográfico do Português (VOC),

♦ do ILTEC; o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa 

♦ da Porto Editora;

♦ o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa da Academia Brasileira de Letras.

♦ No Portal da Língua Portuguesa, encontramos, além do VOC, o conversor Lince e um importante conjunto de recursos e ferramentas, do qual se salienta o Vocabulário de Mudança, que enumera todas as palavras que mudaram, em Portugal como no Brasil.*

Em Portugal, várias são as entidades públicas e privadas que disponibilizam guias ortográficos:

♦ a Assembleia da República e o Ministério da Educação e da Ciência (este desde 2011) têm tais documentos;

♦ a Universidade do Minho tem um guia; 

♦ e, como não poderia deixar de ser, o Diário da República Eletrónico possui uma utilíssima "Síntese alfabética da nova grafia".

♦ Na própria Wikipédia se acha uma "Lista das alterações previstas pelo acordo ortográfico"...

Finalmente, sobre as alterações introduzidas no Brasil pelo AO, podemos socorrer-nos, por exemplo, das páginas dos Dicionários Michaelis, da revista Nova Escola, do Dicionário Web e do sítio Velhos Amigos.

Ou seja: como no resto (dos recorrentes erros que nada têm que ver com o AO), só não acerta quem não está mesmo para isso...

1 O Vocabulário de Mudança compreende várias secções, a saber: Palavras alteradas em Portugal; Palavras alteradas no Brasil; Palavras afetadas pelo AO; Novas formas flexionadas; Apresentação detalhada; O que muda com o AO; Critérios de aplicação do AO; Texto completo do AO. Sobre casos de dupla grafia, leia-se esta resposta do Ciberdúvidas; e, acerca de duplas grafias já existentes antes do atual AO, que decorrem de aspetos morfológicos e fónicos, consulte-se o sítio Língua à Portuguesa

Apesar de a atividade do consultório e de outras rubricas do Ciberdúvidas ter, conforme já foi aqui anunciado, uma pausa até setembro, vamos, mesmo assim, disponibilizando novos artigos, respigados da atualidade noticiosa que tenha a língua portuguesa como tema ou textos da autoria dos nossos colaboradores. É o caso desta atualização, que apresenta:

– em O Nosso Idioma, um texto da jornalista portuguesa Ana Henriques a respeito da relação do calão com conceitos jurídicos ofensa, injúria ou calúnia;

– e, na rubrica Ensino, um depoimento, em registo autobiográfico, da nossa colaboradora Sandra Duarte Tavares sobre a vocação de professor de gramática.

Tópicos das novas emissões do programa Mambos da Língua – O tu-cá-tu-lá do português de Angola, realizado numa parceria do Ciberdúvidas com a Rádio Nacional de Angola: a pronúncia correta de desinfestação (67.º episódio) e a diferença entre os homófonos emérito e imérito (68.º episódio).