Complemento nominal e adjunto adnominal - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Complemento nominal e adjunto adnominal

Como distinguir o complemento nominal do adjunto adnominal, principalmente quando o adjunto adnominal se coloca ao lado do sujeito da oração.

Denize Fernandes Sales Brasil 4K

Em Portugal não se costumam usar estas denominações.

Vejamos estas frases:

(a) O homem trabalhador é útil à sociedade.

(b) O amor ao trabalho dignifica o homem.

(c) A notícia do incêndio alarmou o povo.

Na frase (a), o adjectivo trabalhador é adjunto adnominal, porque está junto a (ad) um nome (nominal) e o qualifica.

O adjunto adnominal é um adjectivo ou uma expressão de valor adjectivo que se junta a um substantivo para delimitar, determinar ou qualificar o significado desse substantivo.

Vejamos as expressões de valor adjectivo:

1. – Locução adjectiva: Os homens de vontade ( = voluntariosos)...

2. – Pronome adjectivo: Este meu livro...

3. – Artigo: O/Um cão de boa raça...

4. – Numeral: Os quatro livros que te dei...

5. – Oração adjectiva: O livro que eu estava a ler.../que te ofereci...

6. – Um substantivo adjectivado: Este homem prodígio/criança...

Nas frases (b) e (c), os elementos ao trabalho e do incêndio desempenham a função de complementos nominais, porque completam a significação transitiva dum nome (de amor e de notícia).

Diz-se que um nome tem significação transitiva, quando se relaciona com verbos transitivos cognatos (da mesma família). Assim, quem tem amor ao trabalho, ama o trabalho; quando houve notícia do incêndio, quer dizer que alguém noticiou o incêndio.

Outros exemplos: descobrimento do Brasil, porque alguém descobriu o Brasil; venda de fruta, porque alguém vende/vendeu/venderá, etc. fruta. Note-se a presença da preposição de.

José Neves Henriques