Início Respostas Consultório Classe de palavras: preposição
Fernando Bueno Engenheiro Belo Horizonte, Brasil 42

Em relação a uma pergunta referente ao tema acima, datada de 9/5/2014, a professora Sandra Duarte Tavares respondeu o seguinte:

«1) A única estrutura correta é "Vai demorar um pouco para eu ser profissional". O sujeito da oração infinitiva "para eu ser profissional" deve ter o caso nominativo, pelo que só é legítimo o uso do pronome pessoal eu. 2) Uma frase equivalente à anterior seria: "Vai demorar para que eu seja profissional." 3) Não, o sujeito do predicado "vai demorar" é toda a oração completiva "para eu ser profissional": "Isso vai demorar." 4) O uso de para é correto.»

A minha pergunta é: por que o uso de para nessa estrutura frasal com o verbo demorar (e também com o verbo levar) é correta, se sujeito nunca deve vir regido por preposição? Qual é a particularidade que existe aí?

Obrigado.

Nuno Pereira Estudante Porto, Portugal 465

Queria saber o significado do termo latino qua na seguinte frase: «Os conceitos dividem a natureza em tipos cujos espécimes prontamente percepcionamos devido à sua excelência estética: são bons qua objectos de atenção» (O que é uma propriedade estética? Eddy Zemach, tradução de Vítor Guerreiro).

Rafael Streithorst Pesquisador Cachoeirinha, Brasil 589

Quando sabemos que a palavra até está exercendo a função de advérbio de inclusão ou está funcionando como uma preposição?

Arsénio Sacramento Tradutor Cascais, Portugal 249

Em que contextos se usa cada uma das expressões que se segue: «de harmonia com» e «em harmonia com»?

Fernando Bueno Engenheiro Belo Horizonte, Brasil 357

Qual dos trechos seguintes está correto?

«De que aquela porcaria de rocim não era Málek-Adel, de que entre ele e Málek-Adel não existia a menor semelhança, de que qualquer pessoa minimamente sensata devia ter reparado nisso à primeira vista... disso tudo já não restava a menor dúvida!»

«"Que aquela porcaria de rocim não era Málek-Adel, que entre ele e Málek-Adel não existia a menor semelhança, que qualquer pessoa minimamente sensata devia ter reparado nisso à primeira vista... disso tudo já não restava a menor dúvida!«

Obrigado.

Daniel Marques Estudante Faro, Portugal 899

Enquanto estudava História, reparei numa frase curiosa que figurava no manual, mas que não sei se está de acordo com a sintaxe do português europeu. Transcrevo apenas o essencial:

«... confiscação de patentes, como o caso da da aspirina.»

Conforme se pode ver, esta ocorrência da contração da preposição é estranha, embora desconheça o grau de similitude com a seguinte reformulação:

«Confiscação de patentes, entre as quais a da aspirina.»

Se, com efeito, o primeiro segmento for agramatical, gostaria de saber por que motivo, então, se pode censurar a coocorrência da contração, mas não a de «...a (patente) da aspirina» (reformulação).

Obrigado.

Arsénio Sacramento Tradutor Cascais, Portugal 1K

O sentido das duas frases que se seguem é equivalente?

(1) O António sente pena pela sua família.

(2) O António sente pena da sua família.

Dayene Curitiba, PR, Brasil 1K

O correto é «pessoa de óculos», ou «pessoa com óculos»?

Sílvia Santos Professora Laranjeiro, Portugal 494

Será que posso dizer «o cão está trás da igreja», em vez de dizer atrás, detrás, «por trás» e/ou «por detrás»?

Obrigada.

Joaquim Fernández Tradutor Barcelona, Espanha 1K

No vídeo do YouTube Tutorial Scriptorium - Uso da vírgula: 7 regras essenciais, que acabo de ver, fala-se das regras de uso da vírgula.

A minha pergunta é: na frase seguinte, a vírgula é realmente obrigatória, ou é apenas aconselhável, por uma questão de estilo?

«Ao analisarmos a questão sob esta nova perspetiva, as conclusões são distintas.»

A minha dúvida decorre do facto de em espanhol e catalão ser absolutamente desnecessária (a sua colocação é apenas uma questão de estilo) e de não conhecer, assim, a regra portuguesa que a torna obrigatória. O vídeo do YouTube não explica o porquê. Por outro lado, agora não consigo precisar onde é que vi, mas tenho a certeza de que já vi frases destas sem vírgula na imprensa de Portugal.

Muito obrigado pela sua resposta!