Óscares, a correção linguística e a primeira obra impressa em Portugal - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Aberturas Abertura
Óscares, a correção linguística e a primeira obra impressa em Portugal
Óscares, a correção linguística e a primeira obra impressa em Portugal
Por Ciberdúvidas da Língua Portuguesa 148

1. Na noite de 25 de fevereiro teve lugar a sempre muito esperada atribuição dos Óscares no mundo da sétima arte, que cumpriu a sua 91.ª edição. A este propósito, duas notas relacionadas com a língua portuguesa:

— A palavra Óscar, com a sua forma plural Óscares, já entrou há muito no léxico português, como tradução da palavra inglesa oscar/oscars, mas a hesitação no momento de grafar a palavra continua a verificar-se, como se observa em diferentes títulos do Jornal de Notícias: "Passadeira, ensaios, estatuetas... Imagens dos preparativos para os Oscars", "Bradley Cooper e Lady Gaga nomeados para os Oscars" ou "Hollywood prepara-se para os Oscars entre polémicas, canábis e merchandising". Recordemos ainda que a palavra Óscar tem várias palavras derivadas como oscarizar, oscarizado ou oscarizável (como se recordou na Abertura de 24/02/2017);

     (Já em 2000, João Carreira Bom, um dos fundadores do Ciberdúvidas, alertava para a existência do termo óscares, como forma de evitar o angliscimo. Mais recentemente, o professor Carlos Rocha esclarecia outra dúvida recorrente: «Nomeado para 10 óscares». Vide, ainda, a resposta sobre o onomástico Óscar e respetiva origem.) .  

— Os títulos dos filmes oriundos sobretudo de Hollywood continuam a evidenciar um gradual domínio do inglês face às traduções em português, como uma breve incursão por dois dos títulos ao Óscar de melhor filme comprova: Black Panther e Bohemian Rhapsody. Uma opção que tem vindo também a conquistar terreno é a que resulta da combinação do título original em inglês com uma proposta de título em português, como acontece em Green Book – Um Guia Para a Vida ou Blackkklansman: O Infiltrado.

   (Maria Eugénia Alves também já dava conta de alguns destes aspetos no seu apontamento "Hollywood em Lisboa")

2. No Consultório, regressam as questões relacionadas com a correção linguística. A ortoépia (área da gramática que estuda a pronúncia das palavras) continua a ser um assunto que preocupa quem pretende falar em bom português. Desta feita, a dúvida recai sobre a pronúncia correta de gaivotinha. É ainda a correção dos usos que está subjacente à dúvida em «Diz-se 8.ª da geral?» e em «Com que tempos do conjuntivo se usa a conjunção quando?». Ainda uma questão de sintaxe relacionada com a função sintática do constituinte «da juventude» na expressão «momento libertário da juventude». 

 

3. No que se refere às notícias relacionadas com a língua portuguesa, destaque para:

— Os 530 anos da 1.ª edição da obra O Sacramental, considerada a primeira obra impressa em Portugal, no ano de 1488. Embora o seu autor seja um clérigo leonês, de nome Clemente Sánchez de Vercial (c. 1370-1426), terá sido na cidade de Chaves que terá tido lugar a sua primeira impressão. Trata-se de uma obra com muita expansão na Península Ibérica, que aborda assuntos como a alimentação, as relações familiares, o trabalho, entre outros aspetos característicos da sociedade medieval (notícia aqui);

— A comemoração do Dia Internacional da Língua Materna, no dia 21 de fevereiro, uma iniciativa criada pela UNESCO em 1999, que visa proteger todas as línguas faladas no mundo. A propósito deste evento, realçamos a preocupação da UNESCO que alerta para o risco de desaparecimento de quase metade das 7 mil línguas faladas. Noutro plano, assinalamos também a importância da língua portuguesa, atualmente falada por cerca de 250 milhões de pessoas;

— O lançamento da plataforma Corpus de Português Académico, que disponibiliza materiais de investigação relacionados com a comunicação formal em língua portuguesa feita em contexto académico, nas variedades de português língua materna e português língua não materna (disponível em acesso livre aqui). Este projeto foi desenvolvido no âmbito da investigação da linha temática Discurso de Práticas Discursivas Académicas, do CELGA-ILTEC, e visa o mapeamento dos usos disciplinares do português.