Casos de conjugação de verbos defetivos - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Casos de conjugação de verbos defetivos

Gostaria de saber qual/quais a(s) alternativa(s) correta(s), estando os verbos conjugados de acordo com a norma culta:

A) «Eu me precavejo dos resfriados com boa alimentação.» (precaver)

B) «Nós reouvemos os objetos roubados na rua.» (reaver)

C) «Desse jeito, ele fale a loja do pai.» (falir)

D) «O príncipe branda a sua espada às margens do rio.» (brandir)

E) «Os jardins florem na primavera.» (florir)

Paulo Ferreira Funcionário São Paulo, Brasil 4K

Quase todos os verbos sugeridos pelo estimado consulente são defetivos, isto é, a sua «conjugação é incompleta, uma vez que não flexiona em todas as formas possíveis num paradigma flexional regular» (Dicionário Terminológico, DOMÍNIO B.2: MORFOLOGIA). Assim, quase nenhum deles suporta, por exemplo, algumas das pessoas do presente do indicativo e do presente do conjuntivo. Deste modo, terão de ser equacionadas outras eventuais soluções que garantam, naturalmente, o objetivo semântico pretendido. 

A) «Eu me acautelo/acautelo-me dos resfriados com boa alimentação.»

B) «Nós recuperamos/recuperámos os objetos roubados na rua.»

C) «Desse jeito, ele leva à falência a loja do pai.»

D) «O príncipe brande [e não «branda»] a sua espada às margens do rio.» 

Nota: No caso do verbo brandir, os dicionários brasileiros consultados (ex.: Dicionário Houaiss, Aulete Digital, Aurélio) apresentam-no como não conjugável apenas na 1.ª pessoa do singular do presente do indicativo e em todo o presente do conjuntivo. Os dicionários portugueses consideram válidas todas as pessoas de todos os tempos, tal como acontece com qualquer verbo do português. De qualquer das formas, a frase apresentada será considerada correta, pois o verbo encontra-se conjugado na 3.ª pessoa do singular do presente do indicativo. Ainda assim, podemos propor a seguinte opção: «O príncipe empunha a sua espada nas margens do rio.» 

E) «Os jardins florescem [florescer] na primavera.»

Pedro Mateus
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: verbo
Áreas Linguísticas: Morfologia; Morfologia Flexional