O uso e a classificação do verbo aprazer - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
O uso e a classificação do verbo aprazer

Compreende-se que o verbo chover tenha as suas limitações com referência às conjugações nas diferentes pessoas. Todavia não o compreendo para o verbo aprazer. Quer o Priberam, quer a Porto Editora, registam apenas as terceiras pessoas do singular e do plural. Não estará correto, portanto, referir "apraz-me"? Qual a denominação para este tipo de verbos? Não é este verbo sempre reflexivo?

Obrigado.

João P. Ferreira Estudante Delft, Holanda 502

Trata-se de um verbo defetivo (mais precisamente um verbo unipessoal), e o exemplo apresentado na pergunta está correto, pois confirma a defetividade do verbo, a qual tem fatores históricos.

Sendo apraz uma forma da 3.ª pessoa do singular do presente do indicativo do verbo aprazer deve observar-se que a sequência «apraz-me», embora inclua um pronome átono, não configura a ocorrência de um verbo reflexivo. Na verdade, o verbo aprazer é transitivo indireto, isto é, seleciona um complemento indireto:

1. «Este casaco não apraz ao príncipe.»

A frase 1 pode ser alterada pelo processo de pronominalização do complemento indireto:

2. «Este casaco não lhe apraz.»

A frase 2 evidencia a possibilidade de o verbo em apreço ter um complemento indireto pronominalizável como lhe. Se o complemento se referir ao sujeito do enunciado, o pronome é me:

3. «Este casaco não me apraz.»

Nos exemplos 2 e 3, os pronomes átonos sublinhados não podem ser reflexos ( também se diz reflexivos), porque não têm a mesma referência que o sujeito das frases, ou seja, «o casaco».

Acrescente-se que nas frases acima o verbo aprazer pode passar ao plural, desde que se mantenha a 3.ª pessoa (não se aceitam, portanto, formas como "aprazo", "aprazes", "aprazemos", ou "aprazeis":

4. «Este casaco e aqueles sapatos não aprazem ao príncipe.»

Por último, registe-se que o radical deste verbo se altera no pretérito perfeito do indicativo*: aprouve/aprouveram. O mesmo acontece com os tempos verbais que exibem o radical do pretérito: aprouvera/aprouveram (mais que perfeito simples do indicativo); aprouvesse/aprouvessem (imperfeito do conjuntivo); aprouver/aprouverem (futuro do conjuntivo). 

* Segundo o Dicionário Houaiss (2001), há gramáticos que aceitam que apraz- seja também a forma do radical no pretérito perfeito do indicativo e nos tempos morfologicamente relacionados. 

Carlos Rocha
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: verbo
Campos Linguísticos: Tempo/Modo/Pessoa/Número (verbos)