Acentuação atual – o que não mudou? - O nosso idioma - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Português na 1.ª pessoa O nosso idioma Artigo
Acentuação atual – o que não mudou?
Acentuação atual – o que não mudou?
Acento tónico vs. acento gráfico

«[...] nem todas as sílabas possuem acento gráfico e há algumas regras para a acentuação gráfica das palavras.»

 

As palavras têm uma sílaba que se pronuncia com maior intensidade. A essa sílaba chama-se tónica. Quanto à posição da sílaba acentuada, as palavras podem ser agudas ou oxítonas, se o acento incidir sobre a última sílaba da palavra (lençol, chaminé, canal, francês), graves ou paroxítonas, quando o acento incide sobre a penúltima sílaba da palavra (mesa, cadeira, lápis, mala), esdrúxulas ou proparoxítonas, se o acento recair sobre a antepenúltima sílaba da palavra (cágado, sábado, lástima, política).

Contudo, nem todas as sílabas possuem acento gráfico e há algumas regras para a acentuação gráfica das palavras.

Relativamente às palavras oxítonas ou agudas, são acentuadas graficamente as terminadas em -a, -e, -o, seguido ou não de -s, como, por exemplo, (s), café(s), avó(s). As terminadas em -em ou -ens, com mais de uma sílaba, como é o caso de armazém (éns) e vintém (éns). E as terminadas em ditongo aberto seguido ou não de -s, tais como anéis, anzóis, chapéu(s). Além destes casos, também se acentuam graficamente as palavras terminadas em -i ou -u, seguido ou não de -s, que não formem ditongo com a vogal anterior (baú(s), país, , saí, Luís).

Contudo, existem algumas exceções: não são acentuadas as que terminem em -i ou -u, seguido de consoante, que não -s (raiz, sair, paul, Raul, Saul). Há ainda a ter em conta as formas verbais que devem ser distinguidas com o acento circunflexo, como é o caso da 3.ª pessoa do singular e do plural do verbo ter (ele tem/eles têm) e do verbo vir (ele vem /eles vêm).

No que diz respeito às palavras paroxítonas ou graves, acentuam-se graficamente as terminadas em -l, -n, -r, -x e -ps, como, por exemplo, móvel, hífen, ímpar, tórax, bíceps. As terminadas em -i ou -u, seguido ou não de -s, como é o caso de júri, lápis, vírus. Também têm acento gráfico as palavras terminadas em ditongo oral, seguido ou não de -s (hóquei; ágeis; úteis; devíeis) e as terminadas em vogal nasal ou ditongo nasal, seguidos ou não de -s (órgão, bênção, acórdão, Estêvão). As palavras terminadas em vogal nasal, seguida ou não de -s, representada na escrita por -um, -uns ou -us, também têm acento gráfico (álbum, álbuns, fórum, fóruns, húmus). As palavras cuja sílaba tónica -i ou -u não forma ditongo com a vogal anterior também devem ser acentuadas (saída, caído, moído, conteúdo, saúde). São exceções a esta regra as palavras em que o -i ou -u da sílaba tónica for seguido do dígrafo -nh (rainha, moinho). Ou então quando o -i ou -u da sílaba tónica faz parte de sílaba terminada em -m, -n ou -r (Coimbra, ainda, sairdes).

Todas as palavras proparoxítonas ou esdrúxulas são acentuadas graficamente, como, por exemplo, cágado, exército, público, último, dinâmico, níveo, enciclopédia, série, lírio, nódoa e fêmea.

Sobre a autora

Professora de Português e Francês no ensino secundário, na Escola Secundária Inês de Castro (Vila Nova de Gaia). Licenciada em 1992 pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, tem mais de trinta livros (escolares, romances e infantis) publicados, entre os quais se contam Português atual, Manual do Bom Português Atual, Língua Portuguesa e Matemática, bem como edições escolares do Auto da Barca do Inferno e de Os Lusíadas. Formadora na área de Língua Portuguesa, em centros de formação para professores, em colégios privados, na Universidade Católica, na  Sonae, no Jornal de Notícias, no Porto Canal; a convite do Instituto Politécnico de Macau, em 2014, deu também formação a professores universitários chineses. Desde 2012, mantém uma crónica semanal no Jornal de Notícias, intitulada "Português Atual". Foi responsável por uma rubrica diária sobre língua portuguesa no Porto Canal. Elaborou um contributo para o grupo de trabalho parlamentar para avaliação do impacto da aplicação do Acordo Ortográfico de 1990. Em 2018, foi-lhe atribuída a medalha de mérito cultural pela Câmara Municipal de Gaia.