Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Aberturas Abertura
Como (bem) avaliar um exame de Português, com um poema diferente do original?
Como (bem) avaliar um exame de Português,
com um poema diferente do original?
Por Ciberdúvidas da Língua Portuguesa 949

1.  Se, num exame de Português, a prova incluir um poema não coincidente com o original, divergindo a obra citada de outras edições, como avaliar esse facto no mínimo insólito? Foi o que aconteceu com o poema O Guardador de Rebanhos, de Alberto Caeiro, heterónimo de Fernando Pessoa, incluído no exame nacional do 12.º ano, em Portugal. A confusão provocada nos examinandos e a explicação-esclarecimento da entidade responsável estão contadas neste trabalho do jornal digital Observador: "Erro no exame de Português? Não, apenas uma versão diferente do poema".

[Uma notícia difundida posteriormente pelo jornal "Público" acrescenta outro elemento, bem mais problemático, a esta prova de Português do exame nacional do 12.º ano realizado na segunda-feira passada: "Alegada fuga de informação do exame de Português está a ser investigada".]

2.  Na presente atualização, deixamos em linha quatro novas respostas a outras tantas perguntas chegadas ao consultório do Ciberdúvidas: o contraste entre os verbos pensar e achar, a (quase) equivalência das expressões «água do mar» e «água de mar», a origem do vocábulo briol e, finalmente, sobre a pronúncia da palavra escolho, no plural.

3.  Ainda sobre o terrível incêndio florestal em Pedrógão Grande, no centro de Portugal, a sua incontrolada devastação, até à data, levou, já, inclusive, à evacuação de várias aldeias. Assim o têm designado, e bem, as alarmantes notícias deste fogo que tudo «lavra e devora», já espalhado entretanto ao concelho limítrofe de Góis. Porque é mesmo disso que se trata: aldeias e residências evacuadas. Não é o caso das pessoas – que, em situações desta gravidade e emergência absolutas, são retiradas, deslocadas ou transferidas para outros lugares de salvação. Sobre esta (im)propriedade lexical muito há disponível no arquivo do Ciberdúvidas. Por exemplo: Os equívocos do verbo evacuar + «Os sinistrados foram "evacuados"» + Evacuação + As palavras NÃO são como o vento.

4.  Temas dos programas desta semana produzidos pelo Ciberdúvidas para a rádio pública portuguesa:

• No programa Língua de Todos (sexta-feira, dia 23 de junho, às 13h15*, na RDP África, com repetição no sábado, dia 24, depois do noticiário das 09h00*), o professor universitário moçambicano Lourenço do Rosário faz um balanço histórico da presença da língua portuguesa no seu país, que assinala no dia 25 o 42.º aniversário da sua independência nacional.

• No programa Páginas de Português (domingo, dia 25 de junho, na Antena 2, às 12h30*, com repetição no sábado seguinte, dia 1 de julho, às 15h30, dá-se relevo à criação da Associação de Estudos de Língua Portuguesa da Ásia (AELPA), com sede na cidade chinesa de Macau.

* Hora oficial de Portugal continental, ficando ambos os programas disponíveis, posteriormente, aqui e aqui.