Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Ripário e ripícola

Em documentos relacionados com ecologia fluvial é frequente encontrar-se alternância entre o termo ripário e ripícola para referir organismos que se encontram associados à zona adjacente a linhas de água. Por exemplo: «galeria ripária» e «galeria ripícola». Algum dos termos está errado, ou é menos correto neste contexto?

Ana Santos Técnica de ambiente Lisboa, Portugal 1K

Os adjetivos ripário e ripícola estão corretos e são sinónimos quer na linguagem corrente quer no discurso especializado.

Do ponto de vista estritamente linguístico, os dois termos são legítimos, ambos significando «que vive às margens de rios ou em outros corpos de  água (diz-se de ser vivo)», pelo que se pode ler nos respetivos verbetes do Dicionário Houaiss (esta fonte diz ser ripário um brasileirismo), que também lhes atribui as seguintes etimologias:

ripário: «lat. riparius, a, um 'que frequenta os bancos de um rio', de ripa, ae 'margem, ribanceira', por via erudita»;

ripícola: «ad. do latim ripa, ae 'margem de rio' + -i- + -cola»

Em relação a dicionários publicados em Portugal – o Dicionário de Língua Portuguesa da Porto Editora, o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa (Priberam) e o Grande Dicionário da Língua Portuguesa (GDLP) de José Pedro Machado –, não mostram estes haver sinonímia entre os dois adjetivos, mas, ao definirem ripário como «marginal» (o Priberam e o GDPL dão o vocábulo como característico do português do Brasil), presume-se que possa ser empregado para referir o que se encontra nas margens de alguma coisa, ou seja, com a mesma denotação que ripícola.

No discurso especializado, mesmo em textos de Portugal, figuram os dois adjetivos junto dos mesmos substantivos – «zona ripícola/ripária» –, sem que se note diferença apreciável. Noutros textos, são apresentados como sinónimos:

1. «A vegetação ribeirinha, também chamada ripícola ou ripária, é constituída por diversas comunidades vegetais [...].» [José Alves Ribeiro, "Flora e vegetação ribeirinha", Douro - Estudos e Documentos, vol. V (9) 2000, 1.º, 39-45]

2. «Ripário(a) ou ripícola ou ribeirinho – aquele(a) que estabelece o seu habitat em associação ou dependência dos cursos de água superficiais.» (NAG, I.P.2008. Ministério  do  Ambiente,  Ordenamento  do  Território  e  do Desenvolvimento Regional. Instituto da Água, I.P.
Manual para a avaliação biológica da qualidade da água em sistemas fluviais segundo a Directiva Quadro da Água Protocolo de amostragem e análise para os macrófitos)

Carlos Rocha
Tema: Línguas de especialidade Classe de Palavras: adjectivo