Os elementos de uma conversa informal - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Os elementos de uma conversa informal

Gostaria que me explicassem os elementos de uma conversa informal (tomada de turno, sobreposição, correção, reformulação) a partir de exemplos.

Dalva Caravana Professora Paracambi, Brasil 7K

1. Tomada de turno (turn-taking): corresponde à assunção da fala, à vez, pelos interlocutores.

A observação da intera{#c|}ção conversacional permite apurar pares adjacentes, ou seja, pares de enunciados justapostos: uma intervenção iniciativa do locutor seguida de uma intervenção/rea{#c|}ção do alocutário:

convite — aceitação/recusa
oferta — aceitação/recusa
felicitação — agradecimento
crítica — contestação
etc.

Em geral, consideram-se dois tipos de trocas na estrutura de uma conversação:

— as trocas confirmativas (Goffman, 1973 — La mise en scène de la vie quotidienne, 2 vol., Paris, Minuit), correspondentes às falas de abertura e de fechamento, que a{#c|}cionam rituais sociais:

«Olá!» «Boa tarde.» «Como está?» vs. «Adeus.» «Passe bem.» «Bom, vou indo.»

— as trocas constitutivas do próprio corpo da conversação, onde se desenham domínios temáticos.

2. Sobreposição, em análise conversacional, é o termo vulgarmente designado para referir a simultaneidade, total ou parcial, de falas — ocorrência comum em situação de desacordo.

3. Corre{#c|}ção pode corresponder às trocas reparadoras (Goffman 1973), que colocam em cena rituais de reparação quando se dá a "invasão" do território do outro, por exemplo, quando o locutor dá uma ordem ao alocutário:

« — Redige-me este ofício para a tarde?
— Sim, muito bem.
— Muito obrigada.
— Não tem de quê.»

4. A reformulação é um a{#c|}to de composição discursiva, a par do a{#c|}to de refutação, justificação, avaliação, etc., e consiste na reconstrução de dados através de paráfrases.

Ana Martins
Tema: Pragmática