O Acordo Ortográfico e a palavra bahia - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
O Acordo Ortográfico e a palavra bahia

Mais uma pergunta suscitada pelo Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa  (VOLP).

Se bem entendo, o Acordo Ortográfico de 1990, o Acordo Ortográfico de 1945 e o formulário brasileiro de 1943 estabelecem que a letra h só se usa: (i) no início de certas palavras por razões etimológicas (eg. habitar) (ii) no final de algumas raras palavras (eg. ah) e (iii) e nos dígrafos ch, lh e nh.

Assim sendo, gostaria de obter um comentário de um consultor do Ciberdúvidas sobre o fato de o VOLP brasileiro (tanto a recentemente publicada 5.ª edição como a 4.ª edição estão disponíveis em linha) incluir a palavra «bahia s. f.».

Isto está correto? (Assinalo que se trata de palavra com inicial minúscula e não é portanto o nome "tradicional" da cidade da "Bahia".)

Pedro Ferreira Professor Guarda, Portugal 7K

A grafia bahia está de facto registda na 5.ª edição do VOLP. Resta saber:

a) se é grafia alternativa a baía, «recôncavo no litoral», uma vez que temos Bahia com h;

b) quer seja baía a palavra representada quer não, se é legítimo usar um h em meio de palavra que é substantivo comum.

A resposta a estas questões é:

1. Em relação a a), não parece variante de baía «recôncavo no litoral», mas, sim, segundo o Dicionário Houaiss, «design[ação] comum às plantas do gên[enero] Bahia, da fam[ília] das compostas, com 13 s[ubes]p[écies] nativas do Sudoeste dos EUA, México e Chile». A palavra surgiu como termo do latim científico Bahia, e este, por sua vez, tem origem no topónimo Bahia.

2. Quanto a b), o problema é semelhante ao de fúcsia, que tem uma variante, fúchsia, com ch pronunciado como [k], porque deriva do nome próprio estrangeiro Fuchs. Em relação a bahia, dado tratar-se de substantivo comum não derivado de nome próprio (cf. Acordo Ortográfico de 1990, Base I), parece-me haver um paradoxo: a palavra tem h medial como se fosse derivado de nome estrangeiro (por exemplo, bahaísmo de BaháAlláh ou Bahá-ullah, «Glória de Deus», em árabe). Mas Bahia não é um nome estrangeiro; é uma peculiaridade que se conservou no Brasil como símbolo da identidade baiana. Se Bahia é afinal Baía, grafia mais conforme às convenções do Acordo Ortográfico de 1990 e dos que o precedem, então a forma da palavra deverá ser baía. É de realçar o que no antigo Formulário Ortográfico de 1943, em vigor no Brasil até 2008, se dizia no seu n.º 42, e em particular na observação que o acompanhava:

«Os topônimos de tradição histórica secular não sofrem alteração alguma na sua grafia, quando já esteja consagrada pelo consenso diuturno dos brasileiros. Sirva de exemplo o topônimo Bahia, que conservará esta forma quando se aplicar em referência ao Estado e à cidade que têm esse nome. Observação. — Os compostos e derivados desses topônimos obedecerão às normas gerais do vocabulário comum.»

Carlos Rocha
Tema: Acordo Ortográfico Classe de Palavras: substantivo
Áreas Linguísticas: Léxico; Ortografia/Pontuação