Novo acordo: Egito/egípcio e ótimo/óptimo - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Novo acordo: Egito/egípcio e ótimo/óptimo

Desde já, gostaria de formalmente registar meu agradecimento à Vossa Senhoria D´Silvas Filho por ter-me tão gentilmente respondido noutra questão.

Quanto a prolação do p em Egipto aí em Portugal e demais países lusófonos, vejo que a maioria, se não todos os especialistas, diz que é mudo; mas eu gostaria de saber o porquê de este mesmo p ser prolado no prefixo egipto em vocábulos como egiptologista, egiptólogo, egiptologia. Por que pode-se prolar o p num prefixo e não se pode prolar num substantivo — ou ao menos por motivo de congruência mantê-lo intacto em Egipto?

E quanto a palavra óptimo — eu consultei o sítio da Academia Brasileira de Letras e vi que lá está, em seu vocabulário, consignada a forma vocabular tanto com p como sem ele; ficando óptimo ao lado de ótimo, pelo que entendi uma facultatividade aparente. Esta continuará lícita com a entrada em vigor do Novo acordo Ortográfico? Só passará a escrever-se ótimo sem o p em Portugal e demais países lusófonos?

Obrigado por vossa atenção. Um grande e fraterno abraço para vós.

Álvaro Lima Estudante Ipiaú, Bahia 20K

Egito/egípcio

As consoantes nas sequências advêm da escrita etimológica. Muitas continuam a pronunciar-se, outras caíram com o uso. Por exemplo, egípcio vem do latim aegyptĭus, e Egipto, do latim Aegyptus. Acontece que se deixou de pronunciar o p em Egipto; daí o novo Acordo Ortográfico (AO) recomendar que a palavra passe a escrever-se sem esta consoante: Egito, mantendo o p em egípcio, porque se pronuncia. Prevalece o critério fonético em relação ao etimológico; e a norma aceita esta incongruência gráfica.

Óptimo/ótimo

O Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa da sua ilustre Academia Brasileira de Letras efectivamente regista as variantes óptimo/ótimo, o que significa que não é uniforme a pronúncia desta palavra no Brasil. Assim, no seu país, é legítimo escrever a palavra com ou sem o p.

Em Portugal, o p caiu na generalidade, e não se recomenda a grafia óptimo no novo AO, mas ótimo.

Esta questão levanta para Portugal um problema. Num dicionário global da língua portuguesa comum (para toda a lusofonia, conforme o preconizado no ponto 4.4 do Anexo II do Acordo de 1990), óptimo figurará como variante legítima no universo da língua, visto ser legal no Brasil.

Ao seu dispor,

D´Silvas Filho
Tema: Acordo Ortográfico Classe de Palavras: substantivo