Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
«No Saldanha» e «na Saldanha»

Gostaria de saber se me conseguiriam esclarecer a seguinte dúvida. Estava a falar com uns amigos e chegamos a uma dúvida sobre a localização Saldanha em Lisboa. Deveremos dizer «no Saldanha», «em Saldanha» ou «na Saldanha», uma vez que é uma praça. A maior parte das referências dizem «no Saldanha», mas o facto de ser uma localização/praça deixa-nos com mais dúvidas ainda. Obrigado.

José Andrade Programador Lisboa, Portugal 67

Admitem-se as expressões «no Saldanha» ou «na Saldanha», se se considerar como válida a omissão de vocábulos que completam o sentido do enunciado. 

Não é de estranhar, se se disser: «No largo do Saldanha há uma festa.» Da mesma forma, é aceitável afirmar-se: «Na praça do Saldanha existe uma estátua.» A omissão dos vocábulos “largo” e “praça” originam as seguintes frases: «No Saldanha há uma festa» e «Na Saldanha existe uma estátua», respetivamente. 

Da mesma forma, se diz: «Vamos a um restaurante na [praça] Luís de Camões» ou «Vamos ao Camões beber um copo.» 

A omissão também acontece com as ruas: «Ela foi à farmácia da Bela Vista.» 

A expressão «em Saldanha» não parece a mais correta, uma vez que, sendo o topónimo baseado num nome próprio, Saldanha, tendo em conta a regra geral, este termo deve ser precedido por um artigo. Relativamente a estas questões, poder-se-á consultar a obra de José Pedro Machado, Dicionário Onomástico Etimológico da Língua Portuguesa. 

Filipe Carvalho
Tema: Topónimos Classe de Palavras: substantivo
Áreas Linguísticas: Gramática; Léxico