«De mãos a abanar», pecadilhos de revisão, o português do Norte e as cantigas galego-portuguesas - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Aberturas Abertura
«De mãos a abanar», pecadilhos de revisão, o português do Norte e as cantigas galego-portuguesas
«De mãos a abanar», pecadilhos de revisão,
o português do Norte e as cantigas galego-portuguesas
Por Ciberdúvidas da Língua Portuguesa 120

1. No consultório, pergunta-se se «com as mãos a abanar» é melhor do que «de mãos a abanar». De uma maneira ou de outra, é preciso é ficar com resposta, e a presente atualização ainda deixa mais quatro – às seguintes questões: como escrever os números numa ata? Como se analisam sintaticamente expressões como «homenagem a alguém» e «não dormi muito bem»? É correta a expressão «facto probando»? 

2. Na rubrica Pelourinho, um apontamento intitulado "Uma notícia cheia de pecadilhos... evitáveis", da autoria de Sara Mourato, evidencia como certos textos disponíveis na Internet carecem de uma revisão atenta, a ponto de a falta de qualidade linguística afetar a própria coerência do conteúdo noticioso.

3. Continuando a acompanhar o que se publica na Internet, em língua portuguesa e a respeito dela, mencione-se outro texto assinado pelo tradutor Marco Neves (blogue Certas Palavras, 5/11/2018), com o título "Quem tem medo do sotaque do Norte". Acerca de uma atitude linguística que parece perdurar em Portugal, considera o autor que «há ainda quem acredite que os sotaques diferentes do sotaque lisboeta são formas incorrectas de falar – segundo esta teoria, o português é bem falado em determinada cidade (a localização exacta de tal centro da perfeição linguística varia de caso para caso) e é maltratado nas outras regiões.» E acrescenta: «[...] no entanto, os sotaques não ganham prestígio por serem mais perfeitos ou genuínos, mas por serem usados nos centros de poder. Estivesse a capital no Norte do país e a troca do «v» pelo «b» seria obrigatória em situações formais.»

4. Recorde-se que, no programa Língua de Todos, transmitido pela RDP África, na sexta-feira, dia 9 de novembro, pelas 13h15* (com repetição no sábado, 10/11), o tema em foco é III Congresso Internacional de Cultura Lusófona Contemporânea. O programa Páginas de Português, emitido pela  Antena 2, no domingo, 11 de novembro, às 12h30* (com repetição no sábado seguinte, 10/11, às 15h30), vira-se para norte, e vai até à Galiza**, para dar relevo ao projeto Universo Cantigas, coordenado por Manuel Ferreiro, professor da Faculdade de Filologia da Universidade da Corunha, com a finalidade de fazer a edição crítica digital da lírica profana galego-portuguesa (disponível no mesmo site e também aqui).

Os programas Língua de Todos, e Páginas de Português  ficam  disponíveis posteriormente aqui e aqui. Hora oficial de Portugal continental.

** Sobre a situação linguística da Galiza, vejam-se os vídeos em que o professor Eduardo Maragoto (Associação Galega da Língua) explica ao público português o que é o galego – aqui e aqui.