Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Aberturas Abertura
De Camilo Castelo Branco às metáforas do discurso político em Portugal
De Camilo Castelo Branco às metáforas do discurso político em Portugal
Por Ciberdúvidas da Língua Portuguesa 337

1. Predomina a sintaxe nas respostas – 10 ao todo – colocadas em linha na presente atualização do Ciberdúvidas*. Por exemplo: à volta de uma frase no Amor de Perdição, de Camilo Castelo Branco, de um caso de modificador apositivo com vírgula obrigatória, e um terceiro sobre classificação de orações subordinadas. Já na área da semântica responde-se a esta dúvida, chegada de Barcelona: «Recentemente, li "os carros calcorreavam". Ora, se calcorrear significa “andar a pé”, “percorrer (caminho geralmente longo) a pé”, “caminhar muito”, não se poderia aplicar o termo a veículos motorizados?» E, finalmente, um caso menos bem esclarecido sobre o uso do hífen em ligações enclíticas mesoclíticas («telefonaram-lhe», «fá-lo-ei», etc.).

* Pelas razões já anteriormente expostas, o Ciberdúvidas passou a assegurar as suas atualizações temáticas apenas uma vez por semana – agora à terça-feira. Entretanto, sempre que a atualidade ou a relevância informativa o justificar, não deixaremos de o assinalar nos Destaques que vão sendo renovados neste período. 

2. Na rubrica O Nosso Idioma, deixamos transcrito um apontamento do jornalista Luís M. Faria, publicado na Revista do semanário “Expresso” do dia 10 p.p. sobre algumas metáforas do discurso político em Portugal.