A que propósito aparece a crónica de RAP no Ciberdúvidas?! - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
A que propósito aparece a crónica de RAP no Ciberdúvidas?!

A que propósito aparece esta crónica* de RAP [Ricardo Araújo Pereira] neste site?! A linguagem que o autor usa não é inclusiva: é ridícula. Para usar linguagem inclusiva não há necessidade de carregar o texto de pares de masculino e feminino. A nossa língua é suficientemente rica para que isso não seja necessário e há documentos a explicar como isso se faz.

Só a título de exemplo, este Guia para uma Linguagem Promotora da Igualdade entre Mulheres e Homens na Administração Pública.

Quem fala assim não é gago nem gaga

Olga M. Costa da Fonseca Professora Faro, Portugal 10K

Respeitando a opinião da consulente, importa lembrar, no entanto, que o Ciberdúvidas é um espaço diversificado de tudo o que respeita à língua portuguesa, com áreas específicas e devidamente assinaladas. São ao todo 12 – que vão do mero esclarecimento (Consultório) e informação factual (Notícias ou Montra Livros), aos vários registos de reflexão, opinião e controvérsias (Na 1.ª Pessoa).

Neste último campo, e como se depreende da sua denominação, inserem-se textos que tragam de algum modo diferentes perspetivas aos temas abordados nessa secção, sejam da autoria de colaboradores do Ciberdúvidas ou de outra proveniência.

Foi o caso desta crónica do humorista Ricardo Araújo Pereira, publicada na revista Visão, de 15 de janeiro de 2018. Nela glosa, no estilo que lhe é próprio, a querela da «linguagem sexista» – contemplada, já, com seis anteriores textos disponíveis igualmente, dada a sua natureza, na mesma rubrica que acolhe este tipo de polémicas linguísticas, Controvérsias [cf. Textos Relacionados].

A quantos querem saber sempre mais sobre a língua portuguesa, o Ciberdúvidas dá-lhes também conhecimento do que é matéria de divergência no uso do idioma nacional – para, concordando ou discordando, formarem eles próprios a sua opinião.

CfLa gramática no tiene sexo, no es incluyente ni excluyente

Ciberdúvidas da Língua Portuguesa