Um caso de hipálage (figura de retórica) - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Um caso de hipálage (figura de retórica)

Gostaria de saber que figura de retórica/tropo se encontra nesta frase:

«O castigo deveria ser pesado e ter o braço longo.»

Considero que não se trata de uma simples personificação, mas que se poderá ali encontrar uma metáfora, tendo em conta a dimensão semântica que se pretende atingir.

Obrigada pela atenção.

Fernanda Monteiro Professora Bragança, Portugal 4K

De facto, numa primeira leitura, parece tratar-se de uma personificação, sobretudo devido à última parte — «ter o braço longo» —, referindo-se ao castigo. Mas, na frase que nos apresenta, o que sobressai, na primeira parte, é o valor do adjectivo «pesado» para caracterizar «castigo», o que nos remete para a hipálage, pois estamos perante um caso de adjectivação sugestiva que valoriza a impressão e a percepção imediata, em que «o efeito criativo é conseguido pela originalidade da construção, sem ambicionar outra representação mental da realidade a não ser aquela relacionada com o fenómeno psicológico ou com a ilusão de óptica» (E-Dicionário de Termos Literários).

A hipálage joga com a transposição de qualidades sugeridas pelo adjectivo, tirando partido da sensação, do efeito que provoca no leitor. Distingue-se da «personificação, da sinestesia ou de outra figura de pensamento porque a primeira é concebida num segmento sintáctico que torna explícita a intenção estilística da transposição, não atribuindo novos significados às palavras» (idem). Assim, neste caso, verificamos que nos encontramos na presença de «processo de valorização estilística que consiste na atribuição a um objecto de uma característica que, na realidade, pertence a outro com o qual está relacionado. Transposto na frase, o adjectivo aparece muito frequentemente nesta construção, ligando ao objecto uma característica moral pertencente ao sujeito [ex.: «o silêncio desaprovador dos meus colegas» (A Queda dum Anjo, de Camilo Castelo Branco)].

Eunice Marta
Tema: Figuras de estilo Classe de Palavras: substantivo