Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
«Ter/arranjar um tacho»

Porque será que certo tipo infame de trabalhos governamentais, conhecidos por "tachos", nos quais (se diz que) não se trabalha e se ganha muito, têm esse nome? De onde surgiu?

José Cristóvão Estudante Alapraia, São João do Estoril, Portugal 2K

Para a elaboração desta resposta, não se encontrou explicação cabal da origem das expressões «ter um tacho», «arranjar um tacho» e outras semelhantes, em que tacho ocorre na aceção de «emprego muito bem pago mas pouco ou nada trabalhoso» (dicionário de português da Porto Editora, na Infopédia). No entanto, sendo tacho interpretável, por metonímia (ou melhor sinédoque), como «(toda) a comida», é de inferir que «ter o tacho» acaba por ser depois, por metáfora, o mesmo que «ter um privilégio por mera sorte ou sem grande merecimento». Estas observações são confirmadas pelo que, sobre tacho, Afonso Praça diz no seu Novo Dicionário de Calão (Lisboa, Casa das Letras, 2005; manteve-se a ortografia original):

«Diz-se de uma boa posição profissional (bem paga), insinuando por vezes que se chegou a ela de forma suspeita. [Aquele gajo é que arranjou um belo tacho, desde que se inscreveu no partido]; comida; refeição. [O que ganho é muito pouco, mal dá para o tacho]; [«(...) andava de redacção em redacção a espalhar artigos que às vezes não saíam porque, segundo ele, os gajos que estavam agarrados ao tacho faziam as suas manobras. (...), Dinis Machado, O que Diz Molero.]

Carlos Rocha
Tema: História da língua Classe de Palavras: locução
Áreas Linguísticas: Léxico; Semântica