Sobre a formação de homofóbico e homofobia - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Sobre a formação de homofóbico e homofobia

Tenho uma pergunta que julgo ser pertinente.

Na realidade o termo homofóbico refere-se, ao contrário do que é dito nos meios de comunicação social, a quem tem fobia ao seu semelhante ou a quem tem fobia à raça humana?

Tal parece ser a lógica etimológica do termo.

Se interpretarmos homo- como sendo o prefixo grego para semelhante ou homo como o étimo latino para homem, percebemos que quem sofre de homofobia tem na realidade aversão ao seu semelhante ou tem aversão à raça humana, e tal não é por certo o caso mais simplista de ter aversão à homossexualidade!

Na minha franca opinião pessoal, o termo homofobia é um termo criado artificialmente por uma literata comunicação social de esquerda apologista da homossexualidade, mas em que este mesmo termo não assenta o significado que quer fazer passar nas suas raízes etimológicas quer grega, quer latina.

Para mim o antónimo de homofobia seria filantropia, e não um indivíduo partidário da homossexualidade.

Gostaria que comentasse.

Agradecido pela atenção concedida.

João Pimentel Ferreira Engenheiro Lisboa, Portugal 5K

O termo homofobia significa, como atestam os dicionários, «medo irracional em relação à homossexualidade», «preconceito contra os homossexuais», «ódio em relação aos homossexuais». A palavra é composta por homo-, de homossexual, e -fobia, medo ou aversão.

 

O que acontece é que a acepção da palavra não pode ser deduzida a partir do significado do primeiro elemento de formação, homo-, pois este é, na palavra homofobia, uma forma abreviada do termo homossexual, ao qual se juntou o elemento de formação -fobia.

 

Trata-se de um processo de formação de palavras legítimo em português. É o que acontece, por exemplo, com telemóvel, que significa «telefone móvel», porque o elemento de formação tele- está por telefone.

Estes radicais latinos e gregos que perdem o sentido original e adquirem um sentido próprio na língua têm a designação, segundo a Nova Gramática do Português Contemporâneo, de Celso Cunha e Lindley Cintra, de pseudoprefixos.

 

Já agora, o termo filantropia tem como antónimos misantropia e antropofobia.

Maria João Matos
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: substantivo