«Foi em agosto que...», «foi em agosto quando...» - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
«Foi em agosto que...», «foi em agosto quando...»

Na frase seguinte, qual o advérbio correcto* a utilizar? Foi em Agosto [que] / [quando] se conseguiu obter aquele objecto* ...Obrigado.

 

*N.E.  As formas "correcto" e "objecto", com "c" e a forma "Agosto", com maiúscula têm uma grafia anterior à aplicação do Acordo Ortográfico de 1990. A grafia atualizada é correto, objeto agosto.

Nuno Roque Consultor Braga, Portugal 369

A frase apresentada inclui uma estrutura clivada1 que permite destacar o constituinte agosto. As estruturas clivadas são, normalmente, constituídas pelo verbo ser seguido de uma oração relativa:

(1) «Foi o João que chegou.» (Neste caso, a estrutura clivada permite colocar em foco o constituinte João)

Embora o pronome relativo que seja aquele que mais tradicionalmente se associa a uma construção clivada, a oração relativa que integra este tipo de estrutura pode ser introduzida pelo pronome quem (2) ou pelos advérbios onde (3) ou quando (4):

(2) «O João foi quem ganhou o prémio.»

(3) «Esta foi a casa onde nasci.»

(4) «Foi em agosto quando cheguei.»

Para todas as frases com estrutura clivada é possível identificar uma frase similar na qual não se destaca nenhum constituinte:

(1a) «O João chegou.»

(2a) «O João ganhou o prémio.»

(3a) «Nasci nesta casa.»

(4a) «Cheguei em agosto.»

Relativamente às palavras que podem introduzir uma oração relativa, recorde-se que o  pronome relativo que se pode referir a qualquer antecedente, enquanto o advérbio quando se refere a um antecedente que inclua uma noção de tempo:

(5) Não esquecerei o dia quando te conheci.

Assim, no que respeita a frase apresentada, uma vez que a oração relativa estabelece uma relação de sentido com a palavra agosto, que inclui uma noção temporal, tanto será possível utilizar o pronome relativo que como o advérbio relativo quando. A frase simplificada correspondente a esta estrutura clivada será:

(6) «Consegui obter aquele objeto em agosto.»

 

Disponha sempre! 

1. cf. Mira Mateus et. al., Gramática da Língua Portuguesa, pp. 685-694.

Carla Marques
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: pronome