Empréstimos linguísticos - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Empréstimos linguísticos

Gostaria de saber o que é e quais são todos os empréstimos linguísticos.

Obrigada.

Silvia Goulart Brasil 3K

Todos é querer muito!

Denominam-se assim os termos (e, menos vezes, as construções) recebidos numa língua a partir doutra(s) ou o contrário, os que aquela fornece a outra(s). Quer dizer, para já, todos os estrangeirismos, antigos ou modernos (os segundos chamam-se neologismos, mas também os há fabricados dentro da própria língua, vernaculamente). Assim, em português temos empréstimos do inglês, do francês, do espanhol, do italiano e doutras línguas europeias, asiáticas, africanas e americanas. Isto sucede com todas as línguas; em francês, por exemplo, há muitos lusismos, bem como em espanhol, em malaio, em japonês, etc.

Um exemplo típico dum empréstimo do inglês, bem recente, é frásico, e daqueles de deitar fora; refiro-me ao uso (e abuso, que o é sempre!) de era suposto em vez de supunha-se: «Fulano era suposto estar fora» em vez de «supunha-se que fulano estava fora», e frases semelhantes (é suposto, em lugar de supõe-se, etc.).

F. V. Peixoto da Fonseca
Classe de Palavras: substantivo
Campos Linguísticos: Neologismos; Estrangeirismos