Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Contracções e variantes de para: pra, prá, pro, etc.

A forma reduzida da palavra para não deveria tornar-se "prá" (com acento), visto que as monossílabas tônicas terminadas em a são acentuadas: , , , ...? E «para o» não deveria tornar-se "prô" (também com acento), como "vô", "pô"...?

Euclides F. Santeiro Filho Estudante São Paulo, Brasil 18K

No Brasil, pode escrever pra e prá como variante de para. Pra é ainda contracção de para e de a, artigo definido feminino singular (Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa). Em Portugal, igualmente se emprega pra, preposição, mas a contracção é prà. Em qualquer caso, trata-se de variantes aceitáveis só no registo informal.

Não pode escrever "prô"; em seu lugar, use a grafia pro, também uma contracção, desta feita, de para com o, artigo definido masculino singular. Sobre estas contracções, observa o Dicionário Houaiss:

«é coloquial e ger. oral; no Brasil, o monossílabo resultante é átono e a vogal é [u]; em Portugal, embora átono, tem a crase (pra + o) ainda marcada por vogal aberta (prò, por vezes grafado pró e pr'o).»

Note-se que em Portugal a opção pela contracção do registo coloquial implica escrever prò. A rigor, a forma pró tem outro significado, «a favor de», e pode-se empregar em qualquer situação comunicativa, oral ou escrita.

 

Carlos Rocha
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: preposição
Áreas Linguísticas: Morfologia; Ortografia/Pontuação