Dicionário de Regionalismos Angolanos - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Dicionário de Regionalismos Angolanos
Óscar Ribas
Contemporânea Ed., Matosinhos, 1994 1K

Muitos aspectos da diversidade e da riqueza da cultura angolana podem encontrar-se nesta obra da autoria do escritor, poeta, jornalista e ensaísta angolano Óscar Ribas (1909-2004).

Iniciada em Luanda, em 1955, e concluída em Portugal em 1988, editada pela Contemporânea Editora e revista por Luandino Vieira, é o resultado de um profundo trabalho de recolha dos vários elementos da tradição oral em Angola e constitui um precioso contributo para o conhecimento e para o enriquecimento cultural do país. E mostra como o meio ambiente influencia a língua, neste caso, a portuguesa. E como nela são incorporados vocábulos regionais.

Ao recuperar os termos linguísticos utilizados em vários pontos de Angola,  Óscar Ribas foi mais longe, realizando e aprofundando pesquisa no âmbito da antropologia, no que respeita aos usos, costumes e tradições angolanas.

É também uma obra que integra a influência do quimbundo, uma das línguas de Angola.

Ao longo de 313 páginas, curiosas expressões e palavras demonstram como podem ser introduzidas inovações na língua portuguesa. Jende é sinónimo de «vaca idosa», mutombo é «toucinho cozido», dongo é uma canoa. E sundo-do-mar é o mesmo que estrela-do-mar. Húmbi, uma espécie de águia. Bugar significa «aldrabar» ou «mentir».

Um dicionário obrigatório para todos os curiosos da língua portuguesa interessados na cultura angolana, com a particularidade de dar a conhecer uma faceta menos conhecida de Óscar Ribas.