Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Cem Maneiras de Melhorar a Escrita
Gary Provost
Guerra & Paz 2K   

Gary Provost (1944-1995) conhecia bem a máxima de que escrever bem é pensar em primeiro lugar no leitor. Neste seu livro – Cem maneiras de melhorar a escrita, edição Guerra & Paz – o autor ensina a escrever qualquer tipo de texto de forma competente: mensagens informais, artigos de revista, propostas de negócios, trabalhos escolares, teses e até listas das compras! Ensina-nos a escrever melhor. Ponto.

Qualquer tipo de texto, independentemente das suas especificidades, é sustentado em pilares comuns, que são, do meu ponto de vista, centrais para chegarmos de forma eficaz ao nosso leitor. Sim, porque escrevemos para quem nos lê, e é isso que devemos ter sempre em conta. A clareza na comunicação é um desses pilares e Gary Provost sabe-o muito bem. Ele consegue contrariar o ditado «Olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço», porque ele faz exatamente aquilo que ensina neste livro: é claro na descrição dos conceitos, é claríssimo nos exemplos que dá. Quem o lê compreende imediatamente aquilo que lê. Escrever bem é isto mesmo. E faço minhas as palavras de Marco Neves, o tradutor desta obra na sua nota prévia: «Provost segue os seus próprios conselhos, deixando a sua personalidade em cada página deste livro.»

Ao longo dos 11 capítulos, o autor deixa-nos um conjunto de dicas e conselhos úteis para escrevermos com êxito. E antes de iniciarmos o processo da escrita, ele dá-nos um conselho precioso: ler, ler muito, ler bem. As palavras são, como sabemos, a matéria-prima da comunicação, portanto, a nossa comunicação será tão mais eficaz se tivermos ao dispor boa matéria-prima, rica e diversificada: as palavras. E elas chegam até nós através de um meio tão simples quanto poderoso: a leitura!

Todas as dicas deixadas pelo autor – com muitos dos exemplos devidamente adaptados para o português pela excelente tradução de Marco Neves – giram à volta da máxima “menos é mais”: palavras simples e reconhecidas por todos, frases curtas, verbos fortes, voz ativa, textos pouco palavrosos. Tão-somente isto. E porquê? Porque, segundo ele, conseguimos um maior impacto com o nosso texto e uma maior empatia com o leitor se respeitarmos essa máxima.

Cem Maneiras de Melhorar a Escrita é o tipo de livro obrigatório para se ter na secretária de trabalho, sempre à mão, pronto a socorrer-nos sempre que desejarmos escrever um artigo científico, um anúncio ou tão simplesmente uma carta de amor!

Sandra Duarte Tavares