Sobre a palavra Kuwait - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Sobre a palavra Kuwait

Após ter lido as várias explicações neste site sobre a palavra Kuwait continuo na dúvida de como soa a palavra, "cuvait", ou "coueit"? Parece que os brasileiros terão resolvido facilmente a questão tornado essa palavra "Kuvaite", mas em Portugal o W (que, tanto quanto sei, se lê como V) com toda a influência da língua inglesa, deixa muita gente a dizer 'cuvait' e outros tantos a dizer "coueite".

Hélder Silva Solicitador Seixal, Portugal 7K

Em português europeu, as formas Kuwait e Kuweit soam "cuuaite" e "cuueite" respectivamente. No português do Brasil, estas formas tem pronúncia semelhante, também com semivogal, mas alguns dicionários brasileiros como o Aurélio XXI e o Michaelis — Moderno Dicionário da Língua Portuguesa e até o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (5.ª edição conforme o novo acordo ortográfico) consignam a grafia coveitiano, que pressupõe a forma Coveite.

Note, no entanto, que a leitura de palavras que se escrevem com w ou o seu aportuguesamento fonético não acarretam a correspondência sistemática com v: pronuncia-se wagneriano atribuindo a w o valor que v tem em português, porque o nome alemão Wagner se pronuncia com um som inicial que é igual ao som [v] em português; mas Washington soa "uochingtâne", com a semivogal [w] (o u muito breve que se pronuncia em guarda).

Relativamente ao gentílico, a palavra registada no Dicionário Houaiss é kuwaitiano, que tem as seguintes variáveis: kuweitiano, kowaitiano, koweitiano. Também em todas elas o w é lido como semivogal [w]. No português europeu, é esta também a pronúncia atestada, por exemplo, por António Emiliano, em Fonética do Português Europeu: Descrição e Transcrição (Lisboa, Guimarães Editores, 2009, pág. 141): [kuwai'tjɐnu]*.

* Por razões técnicas não é possível aqui reproduzir o símbolo usado por A. Emiliano, um i com um sinal de breve invertido diacrítico infralinear (cf. idem, pág. 272).

Carlos Rocha
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: substantivo
Áreas Linguísticas: Fonética; Léxico