Sobre a divisão silábica ensinada às crianças - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Sobre a divisão silábica ensinada às crianças

No 1.º ano do 1.º ciclo, como se ensina às crianças a divisão silábica de, por exemplo, carro, sossegado, pêssego, etc.? De acordo com o manual Pasta Mágica, a divisão silábica surge como aprendi na antiga 1.ª classe: guitarragui/ta/rra. Contudo, a professora do meu filho faz exercícios em que considera esta divisão errada, pois separa as palavras da seguinte forma: gui/tar/ra; car/ro; sos/se/ga/do; pês/se/go. Não estará a professora a fazer confusão com translineação? Creio que a um nível de 1.º ano do 1.º ciclo as crianças aprendem a noção de sílaba em termos fonéticos e não em termos gráficos (aqui, sim, será a translineação). O importante neste nível de aprendizagem é que a criança tenha a noção de separação baseada no som. Será que eu e as pessoas da minha geração aprendemos mal e o manual escolhido pelo colégio onde está o meu filho está errado? Será que algo mudou na nossa língua em termos de divisão silábica e não dei por isso? E aqui reforço que, no meu tempo de estudante, aprendi que uma sílaba é um fonema (som) ou um conjunto de fonemas (sons) pronunciado numa só emissão de voz. Assim, a palavra guitarra, dividida silabicamente, será gui/ta/RRA, pois os dois rr são um mesmo fonema (som). Será que até na minha formação universitária nas cadeiras de linguística me enganaram?! A noção de translineação, salvo erro, será iniciada ou em fins do 2.º ano ou no 3.º ano do 1.º ciclo, e aí, sim, a palavra será separada gui/tar/ra, mas já não será em termos fonéticos mas gráficos. Esclareçam-me, por favor, esta dúvida.

Ana Pedrosa Professora Lisboa, Portugal 13K

Maria João Freitas, Dina Alves e Teresa Costa, em O Conhecimento da Língua: Desenvolver a Consciência Fonológica (Lisboa, Direcção-Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular, pág. 16, n.º 6) confirmam a distinção feita pela consulente nos seguintes termos:

«Em casos como carro ou massa, [...] as sequências gráficas rr e ss representam, respectivamente, o som [R] e o som [s]. Em contexto lectivo, ao pedir-se a translineação de palavras deste tipo, a resposta é car-ro e mas-sa. Porém, se se pedir aos alunos a divisão silábica, a reposta deve ser ca-rro e ma-ssa. Os dígrafos rr e ss funcionam como os dígrafos nh, lh ou ch: cada dígrafo representa um só som, respectivamente, [R], [s], [ɲ], [ʎ] e [ʃ].»1

Quanto ao momento em que a noção de translineação é apreendida, verifica-se que o termo correspondente surge só na lista de itens de funcionamento da língua que dizem respeito ao 3.º ano do 1.º ciclo do ensino básico em Portugal (ver programa de Língua Portuguesa do 1.º ciclo, pág. 158, em vigor à data de publicação desta resposta), num contexto assim formulado:

«Decompor palavras em sílabas (para efeitos de translineação).»

Observe-se, porém, que a formulação deste item é susceptível de reforçar a confusão entre divisão silábica e translineação, porque a sílaba é um conceito fonológico, e a translineação, uma convenção gráfica. Não há, portanto, «sílabas de translineação».

1 Fiz as seguintes correcções: «aos alunos», em lugar de «ao aluno», e [ɲ], em lugar de [ɳ].

Carlos Rocha
Áreas Linguísticas: Fonética; Ortografia/Pontuação