«Quem me dera que fosses feliz» - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
«Quem me dera que fosses feliz»

Na frase «quem me dera que fosses feliz», considerando que a primeira oração é substantiva relativa (?) e a segunda substantiva completiva, onde está a oração subordinante ?

Muito obrigada.

Manuela salvador Cunha professora aposentada Porto, Portugal 42

A frase «Quem me dera que fosses feliz» é composta por duas orações:

− «Quem me dera»: oração subordinante (e oração substantiva relativa)

− «que fosses feliz»: oração subordinada substantiva completiva

Esta construção merece, não obstante, algumas considerações. Antes de mais, trata-se de uma frase optativa, ou seja, exprime um desejo do locutor1. As frases optativas podem ser introduzidas por um complementador que (1), por um advérbio (2) ou por uma fórmula (3):

(1) «Que tudo corra bem.»

(2) «Oxalá tudo corra bem.»

(3) «Deus queira que tudo corra bem.»

Expressões como «Deus queira que», «Queira Deus que», «Permita Deus que» constituem expressões lexicalizadas, pelo que os seus membros não comutam com outros lexemas. O mesmo se aplica a «Quem (me) dera que», uma fórmula fixa utilizada em português para expressar os votos do locutor, neste caso, relativamente ao conteúdo «seres feliz». 

Disponha sempre! 

 1. Para mais informações sobre frases optativas, cf. Mira Mateus et al., Gramática da Língua Portuguesa. pp. 487-489.

Carla Marques