Porquê Argel/Argélia e não "Alger"/"Algéria" - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Porquê Argel/Argélia e não "Alger"/"Algéria"

Esta questão já foi colocada por um consulente em 2001, mas a resposta dada pelo consultor do Ciberdúvidas ["Argélia-Argel"] não esclarece a metátese que se produziu em português e castelhano.

A minha pergunta é a seguinte: por que razão terá havido esta metátese de uma palavra de origem árabe iniciada pelo artigo al? Será caso único com palavras portuguesas de origem árabe com o artigo al?

Encontrei uma resposta num sítio de língua espanhola que também não me deixou totalmente esclarecido, razão por que peço a vossa opinião.

Muito obrigado.

P.S. – Em outros sítios, a pergunta é idêntica à minha, mas as respostas fogem ao cerne da questão: Sua Língua e StackExchange.

João Nogueira da Costa Almada, Portugal 42

As formas Argel e Argélia terão surgido por metátese, isto é, por troca de posição de segmentos na estrutura silábica da configuração mais antiga destes nomes, Alger e Algeria, talvez empréstimos do catalão ou do italiano1. A alteração deve ser bastante precoce na história destes nomes em castelhano e em português, pois parece já estável na documentação dos dois idiomas, pelo menos, desde o séc. XVI (cf. José Pedro Machado, Dicionário Onomástico Etimológico da Língua Portuguesa e Corpus diacrónico del español – CORDE da Real Academia Espanhola).

Observe-se que, em posição inicial, é possível identificar alguns casos de substituição de /l/ por /r/, por exemplo, por dissimilação, como acontece com argola, do árabe andalusi alġulla, que vem por sua vez do árabe clássico ġull «cepo; peça de madeira posta ao pescoço dum condenado» «(cf. Federico Corriente, Diccionario de Arabismos y Voces Afines en Iberromance, Gredos, 2003)2. A toponímia de Portugal também faculta exemplos deste tipo não de origem árabe, mas de origem românica, como Argozelo (Vimioso), atestado num documento medieval com a grafia Ulgusello, o que sugere que, além de se ter registado uma substituição vocálica, ocorreu uma dissimilação, levando o l da primeira sílaba da forma medieval a diferenciar-se como r na forma mais recente (cf. Machado, op. cit.).

 

1 Argélia/Algeria deriva de Argel/Alger. É consensual a etimologia de Argel/Alger que se regista no Dicionário Houaiss (s.v. argelino): «o nome da cidade, Argel, provém do árabe El-Jezāir, ou Al-Djazāir "as ilhas", que bordam a costa do sítio e foram habitadas pelos Bāni Mezghanna, berberes arabizados; c. 940, Bulugir az-Ziri fundou aí uma colônia que se chamou Al-jezāir Bani Mezghanna [...]» (ver também Machado, op. cit.).

2 O Dicionário Houaiss regista uma etimologia alternativa que acarreta uma explicação diferente da troca fonética em causa: «a forma portuguesa e espanhola Argel (compare-se francês Alger, inglês Algiers) pode ter sofrido influência do adjetivo argel "relativo a cavalo que tem branca a pata dianteira direita" [..]». Neste caso, não se falaria de metátese, mas, sim, de analogia. Acrescente-se que argel, na referida aceção, vem do árabe arjal, "cavalo branco com malhas brancas nas patas traseiras" (cf. Corriente, op. cit.; manteve-se a transcrição do árabe adotada por este autor). 

Carlos Rocha
Tema: Topónimos Classe de Palavras: nome próprio
Áreas Linguísticas: Etimologia; Fonética