O uso de cidade em topónimos - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
O uso de cidade em topónimos

O nome oficial da capital do México é Ciudad de México, e nós, os lusoparlantes, por metonomásia, dizemos «Cidade do México». Informalmente ao que tudo indica, também se dizem «Cidade da Guatemala», «Cidade do Panamá», «Cidade de Cingapura», «Cidade do Kuwait». No Brasil de outrora, a capital do estado da Paraíba era oficialmente denominada Cidade da Paraíba, hoje se chama João Pessoa; já a segunda e atual capital do estado de Minas Gerais era, também oficialmente, a Cidade de Minas, posteriormente denominada Belo Horizonte, crisma que perdura até hoje. Há muito que acho curioso que o nome da capital de um país, ou de um estado, fosse formado com a palavra cidade + a preposição de (contraída ou não com artigo) + o nome desse país ou desse estado. E também há muito que especulo se seria porque, em outras épocas, as capitais desses países ou estados eram as únicas com status de cidade, enquanto os demais núcleos urbanos eram vilas, ou se seria porque a palavra cidade tinha também o sentido de capital, isto é, a cidade onde está sediado o governo de um país, estado, etc., porém nunca encontrei a explicação, razão pela qual agora a peço ao nosso sapientíssimo Ciberdúvidas.

Muito obrigado.

Ney de Castro Mesquita Sobrinho Vendedor Campo Grande, Brasil 3K

Não posso confirmar a hipótese do consulente. É certo que, quando se nomeava uma localidade, havia várias formas de a denominar em função da sua importância. Um centro administrativo teria o estatuto de cidade, mas há cidades na atualidade que eram originalmente chamadas vilas, até porque na Idade Média e mesmo em períodos mais tardios1 se usava frequentemente vila; esta denominação ficou frequentemente fixada na forma do topónimo: Vila Real (Trás-os-Montes); Vila Rica (a atual Ouro Preto, Minas Gerais). Em relação ao Brasil, pelo menos, até ao século XVIII, não é certo que cidade se aplicasse siatematicamente a uma capital. Refira-se o caso de Vila Boa, que recebeu o estatuto de vila e se tornou capital da capitania de Goiás em 1749 (cf. Laurent Vidal, "Sob a máscara do colonial. Nascimento e ´decadência` de uma vila no Brasil moderno: Vila Boa de Goiás no século XVIII, História - São Paulo, vol. 28, n.º 1, 2009, edição em linha).

1Leia-se o seguinte apontamento na Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, s. v. cidade (manteve-se a ortografia do original): «Na Idade-Média reservou-se a categoria de cidade, quási exclusivamente, às sedes episcopais. A designação passou depois a aplicar-se às povoações muralhadas, com um número relativamente grande de habitantes. Por fim o uso da categoria de cidade, meramente honorífico, passou a atribuir-se a várias terras, sem que uma norma determinada regulasse a sua aplicação.»

Carlos Rocha
Tema: Topónimos Classe de Palavras: nome próprio
Áreas Linguísticas: Etimologia; Léxico