O Mirandês: dialecto ou língua? - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
O Mirandês: dialecto ou língua?

Foi com grande espanto que, numa resposta a consulente, o Ciberdúvidas refere o Mirandês como um dialecto. Não será, por acaso, antes uma Língua a par da Língua Portuguesa? Tanto quanto eu sei há poucos anos o Mirandês foi oficializado como segunda Língua passando Portugal a ter duas Línguas e não uma como até então.
Se é um dialecto por que razão foi oficializado o Mirandês e não o Beirão, ou o Alentejano, por exemplo?
Grata pela v/ resposta.

Francisca Sepúlveda Professora Lisboa, Portugal 7K

Para melhor a elucidar sobre a questão do mirandês, era importante tecer algumas considerações acerca das designações de “língua” e de “dialecto”.
A noção de língua é sobretudo institucional, política. Na maior parte dos casos são as fronteiras, e não propriamente factores de semelhança ou disparidade linguística, que delimitam duas línguas. Dialecto significa, etimologicamente, modo de falar (dia- = meio de; -lecto = fala). Nesta medida podemos sempre dizer que uma língua é sempre «um modo de falar» promovido e, como eu já referi, aliar-se à noção de língua um conceito político. O mirandês é, portanto, um dialecto promovido a língua há bem pouco tempo, como aliás se pode verificar pela frase sobre esta variedade, retirada do sítio do Centro de Linguística da Universidade de Lisboa: «O processo de normatização da língua [mirandesa] foi iniciado em 1995, com a publicação de uma Proposta de Convenção Ortográfica Mirandesa, e consolidado em 1999, com a edição da Convenção Ortográfica da Língua Mirandesa. A palavra "Língua", neste título, é legitimada pelo facto de o Mirandês ter sido reconhecido como língua oficial pela Lei 7/99, de 29 de Janeiro do mesmo ano

 

Susana Correia