O adjectivo fiável - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
O adjectivo fiável

O adjectivo fiável impropriamente usado como confiável O expoente do presente esclarecimento foi durante 30 anos (1969-1999) director e editor de uma publicação periódica portuguesa que tratava predominantemente de temas técnicos relacionados com o sector têxtil, desde a produção da fibra têxtil até ao artigo têxtil final. Ao longo dos anos em que o expoente dirigiu esta publicação, precisou empregar, até com bastante frequência, em traduções de outras línguas para o português, o verbo fiar e o adjectivo fiável. Além disso, o expoente tem por língua materna o português na variante do Brasil, portanto, baseado nisso, pode pronunciar-se com alguma autoridade sobre o emprego correcto das referidas palavras. Antes de mais, é preciso esclarecer-se que, até tempos recentíssimos, a maioria dos dicionários de língua portuguesa registava para ambas as palavras os seguintes verbetes:

Em dicionários que observavam as normas do português europeu

fiar [1] v. tr. «reduzir a fios; estirar à fieira; serrar longitudinalmente.

fiável adj. 2 gén. «que se pode fiar». (Do latim ‘filāre’ «idem»)

fiar [2] v. tr. «vender fiado». v. intr. «entregar sob confiança». v. refl. «confiar, dar crédito». (Do latim vulgar ‘fidāre’, por ‘fidĕre’ «fiar-se»)

Nunca se registou fiável como adjectivo da forma verbal [2] por se tratar sempre do sentido em português da forma reflexa «fiar-se», que se adjectiva pela locução «de confiança».

Em dicionários segundo as normas da variante brasileira

fiar [1] v. tr.« Reduzir a fios: fiar a lã. Segregar um fio de seda, falando-se de invertebrados como as aranhas e numerosas lagartas: o bicho-da-seda fia seu casulo». «Tirar ou puxar os metais à fieira». Em sentido fig. «tramar, urdir». v. intr. «Torcer os filamentos de qualquer matéria têxtil».

fiável adj. 2 gên. «que se pode fiar». (adjetivo formado pelo tema “fia-“ do verbo “fiar” posposto do sufixo nominal “-vel”).

O adjectivo fiável, na acepção que deriva do latim ‘filāre’ retrovertido em inglês, corresponde ao adjectivo “spinnable”, e igualmente, em alemão, ao adjectivo “spinnfähig”; em francês, ao adjectivo “filable”; em italiano, ao adjectivo “filabile”; em espanhol, ao adjectivo “hilable”. Assim, é incorrecta a forma “fiável” com o sentido de «algo em que se pode confiar ou ter confiança», pois esta forma começou a ser utilizada em Portugal a partir de finais dos anos oitenta, e foi introduzida no português europeu como tradução do termo “fiable”, que constava de alguns textos publicitários em inglês e que por erro de simpatia foi sendo traduzido como “fiável”, quando o seu sentido não corresponde ao sentido do termo fiável em português. Nem mesmo se trata de um neologismo necessário, formado em língua estrangeira e repercutido com propriedade no português. Na verdade, “fiable” é um galicismo desnecessário verificado em orações ou frases construídas em inglês, e reiterado ao ser aportuguesado por similitude com fiável, visto que “fiable” não existe em inglês, mas sim, no francês, o qual é traduzível para o inglês como “reliable”, “dependable”. Há também em inglês com o sentido semelhante “fiducial” ou “fiduciary”, os quais correspondem aos termos em português fiducial e fiduciário. O termo “fiable” consta também do vernáculo espanhol como um galicismo explicado da seguinte forma:

– “fiar”, v. tr., «fiar, afiançar, abonar, vender a crédito, fiar, confiar».

– “fiar”, v. intr., «confiar, ter confiança».

– “fiable”, adj., «em quem se pode fiar; diz-se da pessoa a quem se pode fiar, que tem crédito».

– “fiable”, adj., por “confiable”, «pessoa em quem se pode confiar» (Pelo francês “fiable”, do latim vulgar fidāre, por fidĕre «fiar-se»).

Em traduções feitas no Brasil, devido à falta de um termo apropriado para se traduzir do inglês o galicismo “fiable”, tem sido empregado o neologismo confiável, formado expressamente para o efeito; apesar disso, o termo “fiable” é adequadamente traduzível pela locução «de confiança», que é a tradução de “reliable” e corresponde à retroversão do galicismo “fiable”.

Nota final: Caso fosse possível construir em português um adjectivo com a mesma forma verbal do tema do qual deriva o galicismo “fiable”, este nunca poderia ter em português a forma fiável, porque este precisaria derivar do sentido do latim vulgar ‘fidāre’, por ‘fidĕre’ «fiar-se», e acabaria por remontar ao latim ‘fide’ (fé), que está intrínseco no verbo ‘confidĕre’, «confiar, ter confiança», e que corresponde em português à forma reflexa «fiar-se». Logo, o adjectivo com sentido mais acertado seria o neologismo confiável, cujo sentido também possui um exemplo notório na linguagem popular com a expressão «fia-te na virgem», a qual quer dizer que «nunca se deve ter fé ou confiar demasiadamente na virgem santíssima, sem usar também de algum esforço próprio» ou o mesmo que dizer «nunca se fiar, ter confiança ou confiar de modo demasiado em algo ou alguém». Assim, fica explicado também o adjectivo confiável, que é um neologismo com origem no português do Brasil.

Wilhelm Zetzsche Editor Porto, Portugal 5K

Muito agradecemos os seus comentários sobre fiável. Do ponto de vista normativo, não sei se já é um pouco tarde para recomendar a exclusão deste adjectivo do uso linguístico mais padronizado. No entanto, o que diz sobre o aparecimento da palavra é extremamente pertinente, sobretudo quando se consulta o Corpus do Português (Davies e Ferreira, 2006,): de facto, as ocorrências de fiável não parecem anteriores a finais do anos oitenta.

Carlos Rocha
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: adjectivo
Áreas Linguísticas: Etimologia; Léxico