O termo dissomia - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
O termo dissomia

A palavra em questão é francesa; retirei-a da revista  n.º 1214, novembro de 2018, pg. n.º 103. Da leitura daquela revista, retive que se trata de uma anomalia genética, na qual um indivíduo nasce, é formado, em alguns dos seus órgãos/sistemas, por células cujo ADN tem apenas herança paternal, e outros órgãos/sistemas herança genética normal (de pai e mãe). Não sei como será a palavra em português, mas creio poder ser "disomia", derivado, em parte de, cromossoma. Também admito que a palavra em português possa ser "demissomia", à semelhança, pelo seu contrário, de "trissomia" (genoma no qual no lugar de um dado par de cromossomas, existem três, por anomalia, tal como a conhecida trissomia 21, a trissomia 12, entre outras). Pois, acontece que na Internet não encontro tais palavras; o mesmo acontecendo nos dicionários a que tenho acesso. Assim, como gostaria de aprofundar um pouco aquele conceito, (disomie/disomia/demissomia...), solicito a vossa estimada ajuda no sentido de me indicarem uma possível fonte de informação/pesquisa.

Muito obrigado.

Obs.–"Demissomia", em vez de "disomia", pela razão de (demi), metade do "soma" genético, que é composto, na normalidade, por dois cromossomas, alelos. Mas é tão só um "palpite".

Luís Pedrosa Santos Aposentado Caldas da Rainha, Portugal 48

Em português, o termo associado à anomalia genética em que um indivíduo, no processo de gestação, recebe duas cópias de um cromossoma ou parte de um cromossoma de um dos pais e nenhuma cópia do outro é dissomia (uniparental)1. O termo é formado por dis-, o substantivo grego sôma (corpo) e ia. Se comparamos o termo com o termo trissomia (presença de três cromossomas de um tipo específico – 21 – no organismo), percebemos que basta trocar o tri- por dis- (correspondendo a dois), ao invés de demi-, como sugere (*demissomia).

1 Este conceito encontra-se definido por Fernando J. Regateiro, em Manual de Genética Médica (Imprensa da Universidade de Coimbra, 2007, p. 161): «A dissiomia uniparental é uma forma muito rara de hereditariedade. Pode ocorrer como heterodissomia e como isodisomia. Na heterodissomia uniparental, o complemento cromossómico diplóide é constituído por um par de cromossomas homólogos que provém de um mesmo progenitor. A sua ocorrência dever-se-á a não-disjunção na primeira divisão da meiose. Na isodissomia uniparental, o par cromossómico em causa tem igualmente origem num único progenitor, mas resulta da duplicação de um dos cromossomas do par de homólogos. A isodissomia dever-se-á a não-disjunção na segunda divisão da meiose.» De notar que o dicionário de termos médicos disponível na Infopédia regista dissomia num outro sentido, como sinónimo de diplossomia, que denomina uma «anomalia congénita caracterizada pela existência de dois gémeos completos unidos por qualquer parte do corpo».

Sara Mourato
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: substantivo