Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
«De frente de», «em frente de», «em frente a», «defronte de/a»

Deparei com uma frase onde se pode ser que «o Luís postou-se de frente ao Pedro». Pergunta: não deveria ser «em frente a» ou «defronte a»? A construção «de frente a» é admissível e, se sim, é admissível neste contexto?

Obrigado.

Diogo Morais Barbosa Estudante Lisboa, Portugal 813

Não se recomenda o uso da sequência «de frente a» como locução prepositiva.

Como locuções prepositivas, os dicionários registam as sequências «em frente de», «em frente a» e «de frente de», mas não «de frente a» (cf. frente no dicionário da Academia das Ciências de Lisboa). Pode, no entanto, ocorrer sozinha a expressão «de frente», como locução adverbial: «A luz batia-lhe na cara, iluminava-lhe de frente a expressão contraída e triste. » (Carlos de Oliveira, Uma Abelha na Chuva, 1953, in Corpus do Português).

Quanto a defronte, figura este advérbio nas locuções prepositivas «defronte de», muito frequente, e «defronte a», menos frequente, conforme se pode confirmar, por exemplo, numa consulta do Corpus do Português (idem).

Carlos Rocha
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: locução
Áreas Linguísticas: Léxico; Sintaxe Campos Linguísticos: Atestação/Significado de palavras