Banto/a, bantos/as ‘vs.’ “bantu” (invariável) - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Banto/a, bantos/as ‘vs.’ “bantu” (invariável)

lEmbora, parte da resposta que pretendo já tenha sido respondida por Ciberdúvidas, peço a vossa paciência para uma resposta mais completa, pois dela depende a justificação autorizada, que nos é pedida, para uma decisão editorial que tomámos, arrimados à consulta que fizemos na data atrás referida. 

Explicitando: Na reedição de um livro, cujo título original é «Cultural Tradicional Banto», decidimos, depois de consultarmos os vários dicionários disponíveis e também a Ciberdúvidas, alterar não só o título para «Cultura Tradicional Banta» como também o uso inflexível do termo «banto», pelas várias formas do termo aportuguesado, usando o masculino e o feminino e os seus correspondentes plurais, em conformidade com a exigência do discurso. [...] Confrontados com a necessidade de justificar essas alterações, gostaríamos que nos facultassem uma ajuda de resposta, fundada em bases etimológicas e filológicas. 

Reconhecido.

Rui A. Costa Oliveira Revisor e editor Portugal 2K

Banto é a forma ortográfica em português, O Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa indica a data de 1899 como primeiro registo da palavra banto que actualmente usamos como substantivo ou como adjectivo.

As regras da nossa língua levam a que o feminino de banto seja banta e que os plurais sejam bantos e bantas, conforme atestação em qualquer dicionário de português.

Na palavra banto, a vogal final o lê-se como u átono e, sem utilização do acento gráfico, pois esta palavra lê-se imediatamente como grave. O processo de aportuguesamento é análogo à palavras de origem latina, cuja maioria dos substantivos e dos adjectivos d terminados em o, que hoje lemos como /u/, possuía a letra u na última sílaba.

Exemplo: lupum > lupu- > lobo.

 Em síntese: como foi esta a evolução gráfica para as palavras latinas, é lógico que se apliquem as mesmas regras para as palavras de outras origens.

 

N.E. – A grafia com "u", bantu – termo invariável tanto em género como em número –, corresponde à grafia oficial das línguas nacionais em Angola.  Trata-se do plural de muntu, que significa «pessoa» em quicongo e noutras línguas nacionais de Angola. Segundo Luiz Figueira, no estudo África Bantú, Raças e Tribos de Angola (Oficinas Fernandes, 1932, Lisboa), «a palavra bantú* apareceu pela primeira vez na Compartive Grammar of South African Languages, de Wilhrlm Heinrich Immanuel Bleek, Londres, 1867.» E em Comparative Study of  of the Bantu and semi-Bantu, Harry Johnston, 1884. Cf. Quimbundo/kimbundu + O plural de banto

* Tal como no título do livro, erradamente grafado com acento no u. Tanto em inglês como na grafia das línguas nacionais de Angola, escreve-se bantu, e não "bantú".

A. Tavares Louro