Qimbundo /kimbundu - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Qimbundo /kimbundu

No dicionário, encontrei «quimbundo», mas num trabalho do Ciberdúvidas, assinado por Rui Ramos, especialista em línguas africanas, leio «kimbundu». Será esta a forma aportuguesada e a outra a original nesta língua angolana? Qual é a recomendada pelo Ciberdúvidas?

Deveriam publicar mais trabalhos deste género, pois é muito difícil encontrar obras que tratem das línguas dos países africanos onde se fala português.

Catarina Reis 8K

Na grafia da língua portuguesa, quimbundo, e, na grafia desta lingua nacional, kimbundu.

Quimbundo/kimbundu é a língua falada na região de Luanda-Malange. Significa: «a língua dos mbundu (ou melhor, dos ambundu, plural de mbundu)», isto é, dos habitantes da região. Assim como Kikongo significa «a língua dos Kongo (ou melhor, dos bakongo, forma plural prefixa de kongo).

Está a ser feito um esforço em Angola para fixar a grafia das línguas nacionais. No séc. XIX e no princípio do se. XX várias obras gramaticais de missionários e de angolanos usaram a letra «k» em vez de «c» (kangombe - boizinho; maka - confusão com discussão; dikamba - amigo; makamba - amigos). Era, claramente, a influência da grafia  inglesa, a origem de muitos missionários protestantes a quem se deve grande parte desse trabalho de fixação das línguas nacionais angolanas. Nessa fixação contou ainda a circunstância de cada cada letra corrresponder a um som e a um só, ao contrário da língua portuguesa. Assim, o «o» terá o som de «ó», o «u» de «u», o «g» de «g» e nunca de «j», o «z» é sempre «z», o «s» é sempre «ss».

Vejamos algumas palavras terminadas em «u»:

«ngulu/jingulu» - porco/porca (animal)

«mutu/atu» - pessoa/pessoas

Mas:

«mbolo/jimbolo» - pão/pães (o último «o» lê-se «ô».)

 No caso do texto em referência, por opção, usei a grafia corrente em Angoa pós-independência: kimbundu.

 

N.E. – A forma aportuguesada (e recomendada)  quimbundo – registada nos principais dicionários portugueses e brasileiros – segue a regra geral na formação do respetivo género (feminino: banta) e número ( plural: bantos/bantas). Ver, a propósito,  O plural de banto.

Rui Ramos
Áreas Linguísticas: Morfologia; Ortografia/Pontuação Campos Linguísticos: Neologismos; Estrangeirismos