A regência de esquecer, mais uma vez

Li as vossas respostas sobre a regência do verbo lembrar, e aproveito o contexto (tratando-se já do antónimo deste): qual a regência do verbo esquecer?

Por favor, esclareçam-me através de exemplos.

Obrigado e bom trabalho!

António Chirindza Estudante Maputo, Moçambique 4K

1 – O verbo esquecer pode ser utilizado sem preposição:

Ex.: «Esquecia facilmente o nome dos alunos.» = não ser capaz de recordar;

«Aqueles dias nunca esqueceriam.» = determinada lembrança deixar de estar presente na memória de alguém;

«Esqueceu o alemão que tinha aprendido no jardim-escola.» = deixar de possuir determinado conhecimento ou deixar escapar da memória;

«Um país que esquece o seu património não o merece.» = não dedicar atenção ou interesse, descurar;

«Esqueceu o respeito que era devido ao pai.» = ignorar normas ou princípios.

2 – Esquecer-se de; ex.:

«Esqueci-me do modo como se faz esse bolo.» = deixar de possuir determinado conhecimento;

«Esqueceu-se de pôr a carta no correio» = não fazer alguma coisa por descuido ou falta de atenção;

«Esqueceu-se das horas e trabalhou até às quatro da manhã» = estar absorvido em qualquer actividade e não se aperceber da passagem do tempo;

«Esqueceu-se do porta-moedas em casa.» = deixar (por descuido ou inadvertência).

Helena Ventura
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: verbo