A classe e a subclasse de palavras de efetivamente - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
A classe e a subclasse de palavras de efetivamente

Escrevo-vos no sentido de esclarecer a classificação do advérbio efetivamente, uma vez que tenho encontrado diferentes opiniões relativamente ao seu enquadramento nas diversas gramáticas.

Devo concluir, portanto, que o mesmo pode ser classificado como de frase, afirmação ou conectivo?

Consideremos o seguinte exemplo, retirado de um caderno de exercícios: «Realmente fui muito feliz naquele lugar. Efetivamente, não me lembro de mais nenhum espaço que me faça sorrir e ter esperanças como aquele.» Como se classifica, neste contexto, o advérbio e porquê?

Agradeço, desde já, a enormíssima ajuda que o Ciberdúvidas tem dado àqueles que se preocupam e estudam a língua portuguesa. 

João Rodrigues Professor Pombal, Portugal 2K

No contexto em questão, efetivamente pode ser classificado quer como advérbio conectivo, quer como advérbio de frase, tendo em conta o Dicionário Terminológico (DT), destinado a apoiar o ensino da gramática nas escolas básicas e secundárias de Portugal*.

Como advérbio conectivo, é equivalente a «de facto» e, portanto, tem a função de confirmar o conteúdo da frase ou das frases precedentes. Por outro lado, ao conferir à frase em que ocorre uma função confirmativa, é um advérbio de frase; também o é, se o interpretamos como o mesmo que realmente, e, nesse caso, o advérbo dá ênfase a toda a frase, permitindo esta perspetiva a mesma classificação.

Quanto a tratar-se um advérbio de afirmação, é certo que as gramáticas escolares recentes assim o classificam. Aceitando este ponto de vista, e tendo em conta a definição que o Dicionário Terminológico dá a «advérbio de afirmação» – «advérbio utilizado em respostas a interrogativas totais ou como modificador de um constituinte cujo significado contribui para asserir ou reforçar o valor afirmativo de um enunciado» –, poderíamos dizer que efetivamente acumula também a função afirmativa. Contudo, é preciso notar que há linguistas que não incluem efetivamente entre os advérbios de afirmação; é o caso de João Costa, em O Advérbio em Português Europeu (Lisboa, Colibri, 2008, pág. 73/74).

Em suma, e pensando no contexto do ensino não universitário, a formulação de uma questão sobre a classificação de efetivamente supõe sempre deixar claro em que contexto – textual ou frásico – se pretende classificar este advérbio.

* Recorde-se aqui a definição de «advérbio conectivo», conforme propõe o DT: «Advérbio cuja função é o estabelecimento de nexos entre frases [ex.:  ou constituintes da frase [...], como por exemplo relações de consequência [...], de contraste [...] ou ordenação [...]».

A mesma fonte ilustra esta definição com o seguintes exemplos:

(i) «O Pedro falou com a Maria. [Seguidamente], foi para casa.» [nexo entre frases]

(ii) «Alguns alunos desta turma, [designadamente] o Pedro e o João, estão de parabéns.» [nexo entre constituintes de frase]

(iii) «O professor caiu. [Consequentemente], partiu uma perna.» [relação de consequência]

(iv) «Está frio. O João, [contudo], vestiu uns calções.» [relação de contraste]

(v) «[Primeiro] batem-se os ovos com o açúcar, [seguidamente] deita-se o leite e a farinha, [finalmente] leva-se tudo ao forno.» [relação de ordenação]

Mais informação sobre os advérbios conectivos nos Textos Relacionados (na barra lateral).

Carlos Rocha
Tema: DT (Dicionário Terminológico) Classe de Palavras: advérbio
Áreas Linguísticas: Discurso/Texto; Sintaxe Campos Linguísticos: Coesão/Coerência