Consultório - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Respostas Consultório
Maria Pacheco Professora Portimão, Portugal 4K

Gostaria de saber qual é o valor aspectual veiculado pela forma verbal na frase: «Milhões de euros mudaram de mãos em poucos dias.»

Desde já obrigada pela vossa atenção.

Fábio Vasco Estudante universitário e operador de call center Qta. do Conde, Sesimbra, Portugal 3K

Em expressões do tipo «O pessoal grisou-se todo à minha pala» e «Ela passou-se dos carretos de vez, e ele ascent(r)ou-se», os verbos grisar-se e ascentrar-se (não sei se este último leva erre), ainda que em gíria, querem mesmo dizer «divertir-se» e «acalmar-se», respectivamente?... São formas verbais que oiço bastante (e que sempre utilizei em família) mas que tenho dificuldade em encontrar atestadas em dicionários ou, pelo menos, com o significado que lhes conheço...

Obrigado!

Rogério Silva Estudante Macau, China 9K

Nas frases «Quando chegares a casa, dá de comer ao cão» e «Quando chegares a casa, dá o que comer ao cão», não consigo entender a associação do verbo dar com a preposição de (1.ª frase), a construção «dá o que comer» (2.ª frase) nem as diferenças (isto é, se as houver) existentes entre estas frases.

Obrigado.

Joaquim Santos Silva Designer Maia, Portugal 4K

Como classificar, quanto à acentuação, a palavra brejeira? E, sendo assim, como deve ser lida? Abrindo, ou não, o primeiro e?

Luana Alencar Professora Fortaleza, Brasil 21K

Quais as classes gramaticais que a palavra tal pode assumir? E em «Que tal um brinde?», qual a classe gramatical do tal?

Obrigada.

José Bastos Reformado Lisboa, Portugal 2K

Com agradecimentos pelo vosso magnífico trabalho, gostaria de saber se existe a palavra "particularizante", no sentido de alguma coisa dar um carácter, um aspecto particular a outra.

João Rodrigues Estudante Lisboa, Portugal 13K

O que é uma metátese?

João Guilherme Silva Estudante Silves, Portugal 4K

Desde que comecei a usar o computador e a Internet, tem sido sempre evidente para mim que dependemos muito dos termos ingleses para nos entendermos no mundo da informática.

No entanto, essa dependência, não só em relação à informática, das palavras inglesas parece ser maior para os portugueses do que para os brasileiros. Dá-me ideia de que o brasileiro é muito mais rápido a arranjar vocabulário para tapar essas lacunas da língua portuguesa em relação às inovações tecnológicas.

Recentemente apercebi-me de que existia uma tradução para o termo inglês «Internet leak» — a fuga de informação confidencial na Internet ou o "espalhamento" antecipado e muitas vezes ilegal de uma música ou filme pela Internet antes da data de lançamento. Quando tal acontece, os brasileiros dizem simplesmente que determinada música «vazou na Net», ou «vazou na rede», ou «caiu na rede».

Podemos nós fazer a mesma tradução para o português europeu, ou já existe um termo próprio?

Isa Alexandra Marques Silva Professora de Português Porto, Portugal 6K

Gostaria de saber se existe a forma verbal de incerteza com o mesmo étimo, que não encontrei, ou se é construída a partir, por exemplo, de hesitação, dando origem à forma verbal hesitar, entre outras palavras sinónimas?

Ivone Cunha Professora Braga, Portugal 160K

De acordo com a TLEBS, a distinção entre campo semântico e lexical diverge. Sendo campo semântico o conjunto de palavras que ganham diferentes sentidos dentro de contextos diversificados — exemplo: «peça de automóvel», «peça de teatro», «peça de bronze», «és uma boa peça», «uma peça de carne», etc., e campo lexical, conjunto de palavras relacionadas com outra, por exemplo: mobília — cadeira, mesa, banco, etc. Perante isto como devo ensinar os meus alunos?