A regra da acentuação das vogais "i" e do "u" - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
A regra da acentuação das vogais "i" e do "u"

Qual a origem, o porquê, da regra de acentuação dos hiatos "i" e "u"?

Ingrid Augusto Brasil 4K

I e u não são hiatos, mas sim vogais que podem ocorrer em hiatos. Um hiato é uma sequência de vogais adjacentes que não pertencem à mesma sílaba. As sequências e , tal como aparecem nas palavras juízo e ciúme, respectivamente, constituem hiatos. Quando as vogais i e u ocorrem em hiatos e são tónicas, são acentuadas graficamente com acento agudo. Escrevem-se com acento para que as sequências vocálicas que integram não sejam pronunciadas como ditongos (sequências de vogais adjacentes pertencentes à mesma sílaba, como a que aparece na palavra cuida). Existem, no entanto, excepções a esta regra. Não se acentuam graficamente as vogais i e u tónicas de hiatos:
– quando se encontram em sílaba terminada por l, m, n, r, ou z (exemplos: Raul, ruim, contribuinte, ruir, raiz);
– quando são seguidas de nh (exemplo: grainha);
– quando são precedidas de qu ou gu, pronunciados como [kw] ou [gw] (exemplo:
linguista).

Eva Arim
Áreas Linguísticas: Fonética; Ortografia/Pontuação