Registo familiar, registo popular e registo cuidado - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Registo familiar, registo popular e registo cuidado

Gostava de saber as diferenças entre o registo familiar, registo popular e o registo cuidado e se existe mais registos de língua na nossa língua!

Obrigada.

Cátia Gomes Estudante Massamá – Sintra, Portugal 11K

Vamos procurar desenvolver um pouco mais o tema que nos é proposto.

Vamos distinguir um tipo de registo que só existe na forma escrita. É o nível linguístico literário usado na prosa e na poesia elaboradas por aqueles que se dedicam às formas artísticas da literatura.

Passamos a apresentar quatro níveis de língua que se usam tanto na oralidade como na escrita.

Aqueles que, sem preocupações literárias, falam e escrevem com as palavras adequadas e elegantes e algumas estruturas sintácticas complexas usam o nível cuidado. É o nível que os professores têm por missão ensinar aos estudantes para que estes possam compreender as pessoas de níveis culturais e académicos mais elevados.

A maioria dos falantes usa palavras e estruturas gramaticais compreensíveis e comuns. É o nível corrente ou norma.

No contacto entre familiares e amigos, usamos palavras com valor especial sobretudo íntimo, afectivo e, por vezes, descontraído. É o nível familiar.

O nível linguístico popular pode ser subdividido em vários subconjuntos:

Regionalismos – o vocabulário, as estruturas sintácticas, a fonética e a prosódia podem apresentar variações em função da região dos falantes.
Gírias – linguagens próprias de grupos socioprofissionais restritos como estudantes, militares, cibernautas, etc.
Calão – é o registo linguístico dos elementos da etnia cigana que em Portugal são chamados calés ou calós. Muitos indivíduos não ciganos usam frequentemente termos de calão.

A. Tavares Louro