Pensar de ou curtir de ? - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Pensar de ou curtir de ?

Recentemente, tenho notado que há jovens (sobretudo jovens) que dizem “pensar de”, por exemplo: «Pensei de dizer-te para irmos ao festival». E ainda com mais frequência, "curtir de": «Não curto muito dele.»

Está bem empregada a preposição? Os verbos em questão regem a preposição de?

Obrigado.

Romeu Martins Estudante Braga, Portugal 676

    O verbo pensar, utilizado como transitivo indireto e selecionando complemento oblíquo, não rege a preposição de, mas as preposições em e sobre:

  • «A senhora pensava nos pormenores.»*
  • «O director pensará sobre o assunto.»*

    Quanto ao verbo curtir, na aceção de «gostar», é transitivo direto e seleciona complemento direto, não regendo preposição:

  • «Eu curto muito este sítio.»* 

*Casteleiro, João Malaca (dir.), Dicionário Gramatical de Verbos Portugueses, Lisboa: Texto Editores, 2007

Aura Figueira
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: preposição
Áreas Linguísticas: Sintaxe Campos Linguísticos: Regência