Maiúscula ou minúscula após interjeição? - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Maiúscula ou minúscula após interjeição?

Fiquei com uma dúvida e resolvi enviar. Podem ajudar? Apesar de ter dado uma lida prévia em perguntas parecidas, não ficou claro para mim como proceder. Por favor, gostaria que esclarecessem:

Depois de interjeições, quando o nome for comum, usa-se minúscula ou maiúscula?

Exemplos: «Oh! quanta miséria!», «Nossa Senhora, que frio!», «Ai! meu Deus!»... ou «Oh! Quanta miséria!», «Nossa Senhora, Que frio!», «Ai! Meu Deus!»?

João Pessanha Estudante Rio de Janeiro, Brasil 3K

Como procuram representar representar as nossa emoções, sentimentos súbitos e espontâneos, traduzindo gritos instintivos e equivalendo a frases emocionais, «na escrita, as interjeições vêm de regra acompanhadas do ponto de exclamação [!]» (Cunha e Cintra, Nova Gramática do Português Contemporâneo, Lisboa, Sá da Costa, 2002, p. 588).

Ora, apesar de o ponto de exclamação ser considerado um dos sinais que marcam sobretudo a melodia, «tem na essência o mesmo valor do ponto final, apenas com a particularidade de imprimir à frase a entoação específica da exclamação, da admiração, do espanto, da surpresa» (Rodrigo de Sá Nogueira, Guia Alfabética da Pontuação, Lisboa, Clássica Editora, 1974, p. 65), o que implica o uso de maiúscula após esse sinal. Portanto, de regra, dever-se-á usar a maiúscula após as interjeições, desde que estas estejam seguidas de ponto de exclamação. 

São os casos dos exemplos seguintes em que são usadas interjeições: «Oh! Quanta miséria!» e «Ai! Meu Deus!».

Relativamente à outra frase —«Nossa Senhora, que frio!» —, importa referir que a expressão «Nossa Senhora» não se encontra registada como uma interjeição nem uma locução interjetiva. No entanto, poder-se-á considerar que tem valor semelhante à da locução interjetiva «valha-me Deus!», uma vez que as duas expressões manifestam o mesmo sentimento, o de invocação, um dos que se encontram enumerados na lista de sentimentos/interjeições (cf. Cunha e Cintra, ob. cit., p. 587). Quer se trate efetivamente, ou não, de uma locução interjetiva, a realidade é que a mesma representa uma invocação. Por isso, exerce a função de vocativo na frase, evidenciando um apelo, um chamamento do sujeito a Nossa Senhora. Por sua vez, «na escrita, o vocativo vem normalmente isolado por vírgulas, ou seguido de ponto de exclamação» (Cunha e Cintra, ob. cit., p. 161). Portanto, o uso de maiúscula após Nossa Senhora dependerá do sinal de pontuação que se seguir a esse vocativo:

— se se usar a vírgula, a palavra seguinte será escrita com minúscula inicial: «Nossa Senhora, que frio!»

— se optarmos pelo ponto de exclamação, é de regra o uso de maiúscula na palavra seguinte: «Nossa Senhora! Que frio!»

Eunice Marta
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: substantivo