«Foi-lhe clemente» - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
«Foi-lhe clemente»

Gostaria de saber se são corretos os seguintes usos do pronome oblíquo:

«O juiz foi-lhe clemente.»

«O professor considerou os problemas do aluno, sendo-lhe clemente»

Obrigado.

Carlos Garcia Professor Porto Alegre, Brasil 42

A construção apresentada não corresponde a um uso típico do verbo ser.

É possível identificar construções semelhantes em frases passivas, como (1):

(1) «O prémio foi-lhe atribuído por um júri literário.»

Nesta frase, o pronome lhe tem a função de complemento indireto e surge como argumento do verbo atribuir. O uso do pronome lhe justifica-se pelo facto de ser pedido por um verbo transitivo que se constrói com complemento direto e indireto: «atribuir alguma coisa a alguém».

Algumas construções similares surgem com adjetivo:

(2) «Ele foi-lhe fiel.»

Nesta situação, o pronome lhe corresponde à pronominalização do complemento do adjetivo, tal como se pode observar em (2a):

(2a) «Ele foi fiel à amiga.»

Ora, no caso apresentado, o adjetivo clemente não se constrói com complemento não preposicionado, pelo que o pronome lhe não parece ser admissível. Todavia, é possível uma construção como (3):

(3) «O Juiz foi clemente com o réu.»

Esta frase tem como equivalente a frase (3a), na qual está presente um pronome introduzido pela preposição regida pelo adjetivo:

(3a) «O Juiz foi clemente com ele.»

Não obstante o que ficou dito,  é possível identificar esta mesma construção no seguinte excerto: 

(4) «Namorado dessa Hélade convencional e literata dos livros e dos museus, foi-lhe clemente e não malvada a sorte [..].» (Alcântara Machado, Discurso de Recepção a Levi Carneiro)

A frase (4) mostra que, pelo menos para o português do Brasil, esta construção surge em alguns usos. Assim, embora não pareça estar descrita, poderá corresponder ao uso em que o pronome átono tem a possibilidade de substituir complementos oblíquos (ou adjuntos adverbiais), como acontece em:

(5) «Ralhou com ele.» / «Ralhou-lhe.»1

O mesmo uso poderá ser paralelo à frase apresentada pelo consulente:

(6) «O juiz foi clemente com o réu.» / «O juiz foi-lhe clemente.»

Disponha sempre!

 

1. Bechara descreve esta mesma possibilidade em Moderna Gramática Portuguesa. Ed. Nova Fronteira, p. 151. 

Carla Marques
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: adjectivo
Áreas Linguísticas: Semântica Campos Linguísticos: Regência