Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Dezenas/centenas de milhares, mais uma vez

«Centenas de milhar» ou "centenas de milhares»?

Muito grato e muitos parabéns pelo vosso excelente trabalho.

Tiago F. Caiano Portugal 7K

Além do que já respondemos anteriormente sobre este assunto, leia-se o que há mais de 30 anos escreveu Rodrigo de Sá Nogueira, no seu Dicionário de Erros e Problemas da Linguagem (Clássica Editora, Lisboa):

«"Dezena de milhar" – Não se diga assim. Diga-se "dezenas de milhares". Pela mesma razão não se diz "comprei dezenas de laranja, de limão, de livro, etc.", mas sim "dezenas de laranjas, de limões, de livros". – Nas minhas Questões de Linguagem, I, p. 226 (2. ed.), escrevi o seguinte: "O Sr. Jorge Oliveira pergunta: Dezenas de milhar ou de milhares? É, incontestavelmente, dezenas de milhares, pela mesma razão por que dizemos dezenas de homens, centenas de contos, milhares de ovos. – No número, por exemplo, 374856, temos: 6 unidades, 5 dezenas, 8 centenas, 4 milhares, 7 dezenas de milhares, 3 centenas de milhares. – A expressão 5 dezenas é elíptica e está por 5 dezenas de unidades. De igual modo 8 centenas, por 8 centenas de unidades, 4 milhares por 4 milhares de unidades, 7 dezenas de milhares, por 7 dezenas de milhares de unidades". – Note-se que ninguém diz: dezenas de livro, centenas de rapaz, milhares de pardal, milhões de insecto; uma quantidade de moeda, uma multidão de fiel, um rebanho de carneiro, uma manada de boi, um cardume de peixe, um bando de ave. – Note-se ainda que os numerais cardinais funcionam como adjectivos. Destes, são variáveis em género: – um, uma, dois, duas; duzentos, duzentas, trezentos, trezentas; ...; novecentos, novecentas. Os demais são todos invariáveis. – Note-se ainda que destes adjectivos têm correspondentes substantivos: um, unidade; dez, dezena; doze, dúzia; quinze, quinzena; vinte, vintena; trinta, trintena; quarenta, quarentena; cem, centena; duzentos, ducentena; mil, milhar.»

E Agostinho de Campos, in Glossário de incertezas, novidades, curiosidades da língua portuguesa, e também de atrocidades da nossa escrita actual (Livraria Bertrand, 1937):

«Dezenas de milhares. – Dizemos todos ou quási todos: uma dezena de milhar, duas dezenas de milhares. Alguns querem que se diga: dezenas de milhar. A isto opõe um leitor (o sr. A. M. Monteiro Pacheco, de Paredes) o seguinte:

  "Não será exacta a forma dezenas de milhares, se queremos dizer dezenas compostas de milhares, assim como dizemos centenas de soldados, e não centenas de soldado? E como se deve dizer dezenas de dúzias, ou dezenas de dúzia?"

   Toda a gente diz dezenas de dúzias, de léguas, de quilos. Mas tôda a gente diz também, no singular do primeiro termo: uma dezena de dúziasde léguasde quilos, como diria dez dúziasdez léguasdez quilos.

    O ilogismo estará então na expressão uma dezena de milhar, formada como se se tratasse de um décimo de milhar. Correcto será dizer-se uma dezena ou centena de milhares. E a expressão dezenas de milhares deve considerar-se não apenas legitimada pelo uso, mas concordante com o geral pendor da Língua e a lógica da expressão.»

 

N.E – Sobre esta controvérsia cf. os Textos Relacionados.

 

José Mário Costa