Dezenas de milhares, ainda - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Dezenas de milhares, ainda

Vi o programa "Cuidado com a Língua!" transmitido na RTP-1 na sexta-feira 13 de Outubro, o qual tento não perder, pois acho que este é um verdadeiro programa de serviço público, pois é didáctico.

Na rubrica do programa que tratou da forma mais correcta de dizer «Dezenas de milhar/milhares», não pude deixar de pedir esclarecimentos sobre a seguinte dúvida:

O exemplos dados foram todos da seguinte forma: «Dezena/centenas de 'nome/substantivo'». No entanto, a expressão «dezenas de milhar/milhar» tem origem na matemática, sendo «dezena de milhar/milhares de 'quantidade elementar'». Exemplo: «3 dezenas de milhar/milhares» matematicamente escrito é: «30*(vezes)1000». Assim, uma vez que 1000, um milhar é singular, deve dizer-se 3 dezenas de milhar, porque 1000 (um milhar) é singular. Da mesma forma «3 décimas de milhar» (3/(dividir)10*1000) ou «2 centésimas de unidade» (2/100*1).

Gostaria que fosse possível esclarecer esta dúvida.

Pedro Aleixo Portugal 12K

Milhar é, de facto, um numeral colectivo, que, estando no singular, significa um conjunto com valor fixo: «mil». Mas a palavra milhar não é invariável. Ela suporta o plural, como pode ver-se em frases como «Venderam-se milhares de quilos de castanhas neste fim-de-semana».

Não há, do ponto de vista da gramática da língua portuguesa, como referi no texto Ainda a querela «centenas de milhar» ‘versus’ «centenas de milhares», qualquer razão gramatical que justifique a falta de concordância de milhar quando é antecedido por um outro numeral também ele plural. E nem o apelo ao uso matemático da expressão pode servir de justificação, pois a matemática não faz o mesmo, em situações idênticas, com milhão, igualmente um numeral colectivo. Diz-se, preferencialmente, dezenas de milhões e não «dezenas de milhão».

Importa, no entanto, em abono do rigor, dizer que, com toda a falta de lógica gramatical que a expressão «dezenas de milhar» possa ter, ela é utilizada há já muito tempo, para designar a posição, ou casa, que ocupa numa sequência de números. Transcrevo um pequeno texto do século XVI, extraído do ‘corpus’ da língua portuguesa disponível no Corpus do Português a que tive acesso recentemente:

«as vnidades de baxo das vnidades & as dezenas de baxo das dezenas. E os çẽtos de baxo dos çẽtos. & os miles de baxo dos milles. & as dezenas de milhar de baxo das dezenas de milhar. E as çẽtenas de milhar de baxo das çẽtenas de milhar. & os cõtos da baxo dos cõtos. E assi cada hû ẽ seu lugar como dito he», Gaspar Nicolau, Tratado d'Arysmetyca, 1559.

E a querela mantém-se, porque a língua é viva e solta, por muito que eu não goste de algumas das suas manifestações.

 

N.E – Sobre esta controvérsia cf. os Textos Relacionados.

 

Edite Prada