«Delegar responsabilidades» - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
«Delegar responsabilidades»

Vi escrito «delegar responsabilidades às instituições correspondentes», o que me parece incorrecto. Não será melhor «delegar responsabilidades nas instituições...»?

Agradeço o excelente serviço que têm prestado a quem se interessa por estas coisas do português.

José Tavares Jornalista Seixal, Portugal 3K

De acordo com várias obras lexicográficas de referência, o verbo delegar (do latim delegare) pode reger as preposições em, a, para.

O Prontuário de Verbos com Preposições, de António Tavares e Jorge Moranguinho, indica que o verbo delegar rege a preposição em, dando como exemplo: «O presidente delegou no secretário a conclusão dos trabalhos.»

Deolinda Monteiro, no seu Guia Prático dos Verbos Portugueses, defende também a regência da preposição em: «O pai delegou na filha a representação da família na cerimónia.»

Por sua vez, o Dicionário Houaiss refere que o verbo delegar requer um complemento direto e um complemento indireto, regendo, assim, a preposição a: «O sindicato delegou um representante à assembleia patronal.»

Também encontramos o mesmo teor de exemplos no Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa: «O país delega ao congresso função legislativa.»; « Delegou à comissão poderes especiais.»

Corrobora também a regência da preposição a o Dicionário Prático de Regência Verbal, de Celso Pedro Luft, que se passa a transcrever:

“DELEGAR TDI: delegá-lo a…; delegar-lhe algo ou (menos us.) delegá-lo em…; delegá-lo nele. TD: delegá-lo. Transmitir por delegação (comissão para agir): “… delegarO presidente delegou poderes especiais aos membros da comissão. O povo delega a seus representantes o poder (ou a função) de legislar. "... delegar poderes em um representante meu” (Rui Fernandes). O bom dirigente sabe delegar poderes. II Delegá-lo (a, para…). Enviar (alguém) como delegado; investir de poder(es) para agir em nome de outrem; incumbir: Delegar representantes a um congresso. A Faculdade delegou especialistas (para representá-la num congresso).”

Finalmente, o Dicionário de Verbos e Regimes, de Francisco Fernandes, dá vários exemplos de abonações também com a preposição a:

«Era necessário que a sociedade culta DELEGASSE um dos seus ornamentos a intimar Afonso de Teive para comparecer.» (Camilo, Salvação, 110); «Todas as potências DELEGARAM representantes à conferência de Haia.» (Séguier); «DELEGA os seus procônsules para que vão governar nas terras de África e Ásia.» (L. Coelho, Páginas escolhidas, 235.)

Conclui-se, assim, que é possível o uso das preposições citadas com o verbo delegar.

Sandra Duarte Tavares
Áreas Linguísticas: Léxico; Sintaxe