Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Complemento direto pleonástico

Na frase «Perguntas há-as para todos os gostos», podemos considerar o pronome átono "as" como complemento direto do verbo haver? E nesse caso, o verbo é transitivo?

João Oliveira Professor de Português Ourém, Portugal 466

      Neste caso, estamos perante o emprego do verbo haver, enquanto verbo impessoal, tomando o sentido de «existir».

     Deste modo, haver não tem sujeito e é transitivo direto, sendo o seu objeto o nome da coisa existente ou, a substituí-lo, o pronome pessoal o (a, lo, la): «Há tantas folhas pelas calçadas!» («Há-as pelas calçadas!»).

      Outros exemplos com o verbo haver e o complemento representado por pronome:

      «Houve inquéritos nos distritos.» – «Houve-os.» 

      «Havia intrigas políticas.» – «Havia-as

      «Há soluções para a cidade.» – «Há-as.» 

      Quando se quer chamar a atenção para o complemento direto que precede o verbo, costuma-se repeti-lo, designando-se por complemento direto pleonástico, em cuja constituição entra sempre um pronome pessoal átono:

«Palavras cria-as o tempo e o tempo as mata», José Cardoso Pires, O Delfim

      Temos o mesmo caso na frase «Perguntas há-as para todos os gostos» com o pronome átono -as a reforçar pleonasticamente o complemento direto palavras.

Fonte: Nova Gramática do Português Contemporâneo, Celso Cunha e Lindley Cintra

Maria Eugénia Alves
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: pronome